Review | The Walking Dead – 6×15: East

(CFe/(1 + i)^n / (CFi/ (1 + i)^n ): Esta é a fórmula da relação custo-benefício e, se aplicada ao 15º episódio da 6º temporada de The Walking Dead o resultado será que, “East“, é um episódio inviável. Pouca coisa se aproveita dele. Não, aquele final não foi impactante. Já sabe-se de ante-mão o que NÃO aconteceu ali.

Aviso de SPOILERS

Os comentários a seguir falam sobre acontecimentos encontrados em East, o décimo quinto episódio da sexta temporada de The Walking Dead.

#TWD (S06E15) – The Calm Before

Se tem uma coisa que aprendemos com Glenn – e com certeza não é como se passar sabonete em sua/seu crush que está tomando uma ducha contigo – é que, pelo menos em The Walking Dead, personagens importantes dificilmente irão morrer. Desse modo, a cena final em que Daryl leva um tiro do sujeito o qual tinha saído para caçar, e olhe que o final do episódio anterior deu a pensar que na verdade ele iria fugir com Carol, não deve despertar nenhuma ansiedade ou preocupação aos fãs da série. Não por agora pelo menos.

Nancy

A saída de Carol e Daryl acaba fazendo com que várias comitivas partam de Alexandria, o feudo que é possivelmente o trend topic do apocalipse depois que seus habitantes tocaram o terror mundo afora. Novamente a relação custo-benefício é posta a prova. O quanto vale a pena por em risco a vida de mais gente importante por uma pessoa que decidiu partir?

The Walking Dead - East
A Fé será perdida

Enquanto Daryl saiu em sua quest pessoal, Carol já tinha decidido que não valia a pena mais viver em Alexandria. Muitos benefícios sim, mas o preço a se pagar é bastante alto. Talvez até mais alto do que se tornar a gatilho mais rápida do ‘novo leste’.

Caminhos

Morgan dá uma aula a Rick, fala sobre círculos, sobre a lei do retorno, explica como os seus atos descambaram num salvamento a Denise das mãos de um outrora algoz. E o que seria toda essa conversa do que nada menos do que a explicação de como a Força age ao redor? Ele como um grande Jedi fez a sua parte e, em tom de despedida, mostra claramente que Rick escolheu um caminho sem volta. Será que não se arriscar mais, da forma como ele faz que é matando todos a sua frente e acreditando apenas no que quer (“essa lança indica que ele é um Salvador, devemos matá-lo”), é uma saída acertada ou um caminho sem volta?

A calmaria antes do furacão

Penúltimo episódio desta 6º temporada, ‘East‘ é claramente apenas uma grande perda de tempo um daqueles episódios fillers (enche-linguiça, side quest, etc) que estão ali apenas para preencher uma data e que não tem muito a mostrar. As mensagens foram importantes até, mas se juntar com a cena final daria facilmente para tudo isto aqui ter sido contado em 2 ou 3 minutos, ou seja, um custo-benefício muito baixo para uma época em que o tempo está cada vez mais escasso.

The Walking Dead - S06E15
Perdeu, Playboy

Os produtores claramente já vem preparando terreno para o episódio final que, como de praxe, deverá chutar bundas, perfurar crânios e deixar todo mundo ansioso pela 7º temporada. E assim mais um círculo será fechado para outro ser aberto (lá ele!).

 

Queria ser astronauta mas tudo o que consegui na vida foi cair de um carro em movimento, fissurar meu crânio andando de skate e zerar Alex Kid in The Miracle World no Master System. Nas horas vagas vejo filmes que ninguém conhece, mato monstros que não existem e torço por um time que nunca vence.

6 thoughts on “Review | The Walking Dead – 6×15: East

    1. Só um pouco hehehhe, to priorizando a POCILGA e também o nosso podcast, o Varacast (se não ouviu ainda recomendo que ouça).

      Essa semana ainda tentarei atualizar o Porra, man!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *