Crítica | La La Land

Um dos filmes mais elogiados da temporada, La La Land finalmente estreia nos cinemas brasileiros. Novo trabalho do diretor Damien Chazelle (Whiplash), a experiência superou minhas expectativas. Não assisti a tantos musicais como gostaria, mas devo dizer que La La Land já garantiu presença no meu top 10 do gênero.

Apesar de comum, a trama consegue se destacar em vários momentos. Mia trabalha em uma cafeteria e sonha em ser atriz. Sebastian toca músicas comerciais, mas almeja ter o seu próprio clube de jazz. Após alguns encontros e desencontros, os dois iniciam um romance um tanto formulaico que se eleva graças a química de Ryan Gosling e Emma Stone.

Utilizando os números musicais de maneira natural e comedida, La La Land faz homenagens ao cinema dos anos 1940 e 1950. A maioria das sequências são repletas de nostalgia, vibração e magia. Os suaves movimentos de câmera, os planos longos e abertos e a fotografia exuberante são um deleite para os olhos e para a alma. Ainda que Gosling e Stone não sejam formidáveis no quesito canto e dança, notamos a entrega de ambos e a paixão que investiram no filme. E isso foi o suficiente para nos conquistar.

Um dos pontos mais marcantes de La La Land é justamente a paixão que os seus personagens nutrem pela arte. Mia pela atuação e Sebastian pelo jazz. O filme parece nos dizer várias vezes que é permitido sonhar e abraçar o que amamos. Essa positividade é altamente contagiante.

Embalado pelo inesquecível tema ”City of Stars”, me vi absorvido nestes 128 minutos de energia e beleza. A cereja do bolo veio nas últimas cenas, que trazem ainda mais sinceridade e emoção para o que já era bem acima da média.

Pouco importa se La La Land irá bater recordes de prêmios. O importante é que ele vai se tornar inesquecível para muitos cinéfilos. Esse prêmio é para poucos.


5 Kevin Bacons

Uma frase: – Você está despedido.
– É natal.
– É mesmo, vejo a decoração. Boa sorte no ano novo.

Uma curiosidade: Ryan Gosling praticou duas horas por dia, seis dias na semana e foi capaz de tocar o piano em todas as sequências, sem dublê de mão ou CGI.

.


La La Land: Cantando Estações (La La Land)

Direção: Damien Chazelle
Roteiro: Damien Chazelle
Elenco: Ryan Gosling, Emma Stone
Gênero: Drama/Musical
Ano: 2016
Duração: 128 minutos.
Info: IMDb

 

Fã de sci-fi que gosta de expor suas opiniões por aí! Oinc!

6 thoughts on “Crítica | La La Land”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *