Resenha de Livro | Os Goonies

O filme Os Goonies, dirigido por Richard Donner em 1985, é sem dúvidas um dos grandes clássicos dos anos 1980. Contando com roteiro de Chris Columbus e história de Steven Spielberg – que também foi o produtor executivo, o longa captou muito bem o espírito juvenil da época através de uma aventura envolvendo caça a tesouro, piratas, vilões, drama e comédia.

Durante a produção o escritor James Kahn escreveu uma novelização do filme inspirada no roteiro de Chris Columbus. Lançada na mesma época do filme, em 2012 o livro foi relançado no Brasil pela DarkSide com um tratamento especial que a editora se especializou em fazer.

Apesar do livro ser uma adaptação do filme, ele apresenta algumas diferenças bem interessantes em relação ao longa de Richard Donner. Mikey é o protagonista e narrador da história, então tudo é narrado a partir do seu ponto de vista. Dessa forma a narrativa apresenta a forma como ele enxerga os outros personagens.

Além disso, também é apresentado seus pensamentos e assim temos um aprofundamento do protagonista. De forma geral através do livro o escritor James Kahn consegue ir além do filme no desenvolvimento dos personagens, e isso é muito valioso para quem é fã do filme e gostaria de saber mais sobre eles.

A história segue basicamente a mesma linha temporal do filme, mas alguns momentos se diferenciam do filme. Quem já viu os extras do DVD/Blu-ray sabe que existem cenas deletadas que não entraram na versão final, no entanto elas estão presentes no livro de James Kahn. E isso é um prato cheio para quem é fã de Os Goonies já que de certa forma essa novelização apresenta a versão definitiva da trama.

Um bom exemplo disso diz respeito a passagem de tempo. A história começa a tarde de um dia e termina pela manhã do dia seguinte, mas no filme não fica claro como se passou tanto tempo assim. No livro existe uma cena no qual os personagens estão em uma jangada e tem tempo de dormir um pouco, então faz mais sentido o tempo passado. Outro momento presente no livro e que não existe no filme é a luta contra um polvo gigante antes de encontrar o navio do Willy Caolho.

Outra diferença está no tom da narrativa em relação a sexualidade. O livro de James Kahn fala mais abertamente sobre o tema. Um exemplo disso é quando Mikey descreve a personagem Stef, ele fala que ela era conhecida por ter dormido com diversos garotos. Outro instante diferente é em na cena do beijo entre Mikey e Andy – que acha estar beijando Brand (irmão mais velho de Mikey) – onde o autor descreve a cena de forma um pouco mais “picante”.

Continuando com as diferenças, como Mikey é o narrador, existem momentos em que o personagem Gordo (Chunk no original) se separa dos Goonies. Enquanto no filme suas cenas são mostradas em paralelo ao que acontece com o restante do grupo, no livro elas são narradas em um capítulo específico onde ele assume o papel de narrador, como se estivesse contando o que ocorreu para Mikey. Foi uma boa solução narrativa utilizada pelo escritor.

Fechando as diferenças, o livro também apresenta um epílogo onde mostra um pouco da repercussão após o final da história, com alguns trechos de jornal comentado o desfecho da aventura dos Goonies. Ou seja, se você é fã do filme e tem interesse em apreciar a história de maneira diferente e com mais detalhes, o livro de James Kahn é um prato cheio.



Título: Os Goonies
Autor: James Kahn
Editora: DarkSide
Tradução: Cecilia Giannetti
Número de páginas: 240

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *