Crítica | Mamma Mia! Lá vamos nós de novo

Mamma Mia! Lá vamos nós de novo chega aos cinemas 10 anos depois do bem sucedido primeiro filme adaptado do musical da Broadway que é baseado nas canções do grupo pop sueco ABBA. A tão esperada sequência repete com acerto e ainda mais emoção a fórmula do original, desta vez, para aprofundar o passado romântico de Donna (Meryl Streep), mãe de Sophie (Amanda Seyfried), com uma narrativa que ao mesmo tempo faz o público desidratar de tanto chorar e também sacudir sem parar as perninhas ao som de “Dancing Queen”.

O longa traça um paralelo entre atualidade e passado para conectar ainda mais o espectador com a bonita relação de mãe e filha já estabelecida no primeiro filme. Por meio de flashbacks, é possível conhecer mais sobre a trajetória da corajosa e desbravadora jovem Donna (Lily James) e como ela conheceu os “pais” de Sophie: Harry (Hugh Skinner/Colin Firth), Sam (Jeremy Irvine/Pierce Brosnan) e Bill (Josh Dylan/Stellan Skarsgård).

Mamma Mia! Lá vamos nós de novo, foto

Cinco anos após a celebração de seu casamento no primeiro Mamma Mia!, Sophie está às voltas com a reinauguração do hotel construído por sua mãe em uma ilha da Grécia, enquanto também precisa lidar com dificuldades em seu relacionamento e com a recente descoberta de uma gravidez. Assim como no original, o segundo filme equilibra momentos de comédia e de emoção em cenas bem coreografadas e empolgantes ao som de diferentes músicas do ABBA, que são encaixadas com coerência no roteiro.

Mamma Mia! Lá vamos nós de novo, foto

Uma das melhores atuações fica por conta de Lily James que, apesar de costumeiramente parecer interpretar o mesmo papel em todos seus trabalhos, neste filme, a atriz consegue fazer jus ao carisma de Meryl Streep, principalmente na química com os atores Hugh Skinner, Jeremy Irvine e Josh Dylan. Roubam a cena com maestria Andy Garcia, com seu senhor Cienfuegos, ao contracenar com Julie Walters (Rosie), Christine Baranski (Tanya) e Cher (Ruby Sheridan).


Uma frase: Sophie – “Nunca me senti tão próxima da minha mãe. Estou exatamente onde ela esteve durante todos aqueles anos. Só que, desta vez, nós sabemos quem é o pai.”

Uma cena: O flashback do jantar romântico entre os jovens Donna e Harry, em Paris.

Uma curiosidade: Meryl Streep e Lily James, as duas atrizes que interpretam Donna, são parentes distantes.


Mamma Mia! Lá vamos nós de novo, cartazMamma Mia! Lá vamos nós de novo (Mamma Mia! Here We Go Again)

Direção: Ol Parker
Roteiro:
Richard Curtis, Ol Parker, Catherine Johnson e Judy Craymer
Elenco: Amanda Seyfried, Lily James, Dominic Cooper, Meryl Streep, Cher, Stellan Skarsgard, Colin Firth, Hugh Skinner, Jeremy Irvine, Josh Dylan, Andy Garcia, Julie Walters, Christine Baranski e Pierce Brosnan
Gênero: Comédia, Musical
Ano: 2018
Duração: 114 minutos

Filha dos anos 80, a Não Traumatizada, Mãe de Plantas, Rainha de Memes, Rainha dos Gifs e dos Primeiros Funks Melody, Quebradora de Correntes da Internet, Senhora dos Sete Chopes, Khaleesi das Leituras Incompletas, a Primeira de Seu Nome.

2 thoughts on “Crítica | Mamma Mia! Lá vamos nós de novo”

  1. Bia, adorei sua crítica! Não é da minha época, mas vou assistir. Será que vou balançar as perninhas também?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *