Crítica | Leftovers 3×03 – Crazy Whitefella Thinking

Antes de começar a leitura, por favor, clique e ouça música¹ de abertura deste episódio para acompanhar a leitura:

Se tem uma coisa que é bem característico da série Leftovers é o fato de (quase nunca) conseguirmos separar o que é divino, espiritual ou ‘miraculoso’, do que é apenas insanidade e loucura. E o caminho que Kevin (pai) segue através do ‘outback‘ australiano tentando salvar a todos do apocalipse que supostamente virá em um grande dilúvio – essa alusão a Noé e sua arca é sensacional – é muito disso, afinal, ele é louco mesmo ou está realmente sendo parte de uma profecia?

O relógio para o cabalístico dia dos 7 anos do arrebatamento, que vem sendo a força motriz dessa terceira (e infelizmente última) temporada da série até aqui, está chegando e as coisas estão ficando literalmente insanas. Kevin Gave Sr. segue então numa peregrinação atrás de rituais e cânticos que, segundo as suas visões e as vozes que ele ouviu e seguiu (incluindo a do Kevin ainda criança), precisam ser “assimiladas” e realizadas por ele para salvar todos do fim dos tempos.

Em um mundo onde alguns procuram uma explicação divina para o que aconteceu, Kevin pai procura por sinais e, as vezes, eles surgem de qualquer lugar, qualquer suposta coincidência. Será que o Jesus dele é a resposta mesmo? Será que o seu caminho está seguindo propósitos predeterminados por forças espirituais ou ele apenas está se agarrando ao que tem? Ou melhor, será que o Seu Jesus existe mesmo ou é algo que está apenas em sua cabeça? Como conseguimos alcançar a nossa fé, de onde ela vem? Quais provações (e neste episódio Kevin Sr. passou por várias) devemos passar para crer?

Grace, você pegou o Kevin errado!

O momento mais contundente do episódio é mesmo próximo ao seu desfecho, onde em uma conversa com Grace que, no episódio anterior apareceu com mais 3 outras companheiras numa alusão fantástica aos Cavaleiros do Apocalipse pegando o Kevin errado, ele percebe que a mulher a sua frente também passou por um caminho difícil e tortuoso no qual ela acreditou no seu Jesus até perder seus filhos de forma trágica. Como continuar tendo fé depois disso tudo? O sorriso dele e o que ele fala para ela “Você pegou o Kevin errado“, afinal ele sabe qual é o Kevin “certo”, é mais um sinal divino, é o que eles precisam para alcançar a Fé que precisam ou, é apenas mais alguma coisa no qual os “deixados para trás” tentam se agarrar para terem algum propósito nesse mundo que já acabou, mas nem todos se deram conta?


  1. A música Personal Jesus foi originalmente criada pelo Depeche Mode
  2. Tecnicamente falando este foi mais um episódio lindo, principalmente em sua fotografia.
Queria ser astronauta mas tudo o que consegui na vida foi cair de um carro em movimento, fissurar meu crânio andando de skate e zerar Alex Kid in The Miracle World no Master System. Nas horas vagas vejo filmes que ninguém conhece, mato monstros que não existem e torço por um time que nunca vence.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *