Resenha de Livro | Battle Royale

A República da Grande Asia Oriental – como é conhecido o Japão no mundo distópico de Battle Royale – é um lugar complicado de se viver. Pior ainda se você for um jovem do nono ano de algum colégio. Anualmente, o governo escolhe de maneira aleatória um grupo de estudantes que é levado até um lugar isolado para lutar pela própria vida. Cada um dos 42 jovens recebe uma arma ou ferramenta. Apenas um pode restar com vida.

A trama nos faz lembrar de Jogos Vorazes, não é mesmo? Pois é. O fato é que Koushun Takami publicou Battle Royale em 1999, quase 10 anos antes de Suzanne Collins lançar sua saga de sucesso. Existem muitos textos que comparam os dois. Será que foi plágio? Difícil dizer. Mas as semelhanças são evidentes. Para mais detalhes, recomendo o ótimo texto do ConversaCult.

Battle Royale foca bastante na violência. As mortes aqui são gráficas, chocantes, cruéis e às vezes até possuem grande carga emocional. O autor consegue desenvolver de maneira adequada a história de vários personagens, o que aumenta o impacto das mortes.

Como se manter vivo em jogo doentio como esse? Criar aliados pode ser uma boa estratégia, mas até que ponto serão confiáveis? O mapa da ilha é dividido em quadrantes que aos poucos ficam proibidos. Caso um estudante se encontre em um quadrante proibido a coleira em volta do seu pescoço explodirá.

O ritmo ágil não permite que Battle Royale torne-se cansativo, mas as descrições das batalhas podem soar confusas. Sinceramente, me senti perdido durante alguns confrontos, especialmente quando eles soam hollywoodianos demais. As declarações de amor fora de hora e o excesso de virtudes dos personagens principais também incomodam.

O autor perdeu a oportunidade de explorar melhor o mundo distópico que ele mesmo criou. Concordo que não era o objetivo primordial do livro, porém só traria benefícios.

Em 2000, foi feito um filme baseado neste livro e devo dizer que é um dos poucos casos em que prefiro a adaptação do que o material original.



Título: Battle Royale
Autor: Koushun Takami
Tradução: Jefferson José Teixeira
Editora: Globo Livros
Número de páginas: 664

Fã de sci-fi que gosta de expor suas opiniões por aí! Oinc!

3 thoughts on “Resenha de Livro | Battle Royale

    1. Sem dúvidas, não sei qual a posição da Srta. Collins mas se ela disser que foi uma ‘inspiração’ não fica tão feio.

      O livro não li, mas vi o filme oriental e é realmente bem bom.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *