Crítica | Aterrorizados (Aterrados )

Aterrados é um daqueles filmes menores que ficam passeando pelos catálogos de stream sem grande estardalhaço. Um filme argentino que não tem atores famosos mundialmente ou o engajamento de produções americanas, tendem a ficar no background dos outros grandes lançamentos do mesmo ano, a exemplo de It: A Coisa, Annabelle ou Corra!. Esta história pode mudar pois um remake americano está sendo encaminhado por Guillermo Del Toro e trará o mesmo diretor do filme original, Demián Rugna. Mas afinal, sobre o que é este filme?

A resposta é simples: O Sobrenatural. Ao contrário de outras produções, em Aterrados, ao invés de uma casa mal assombrada temos toda uma rua com este problema. A vizinhança sofre com um mal desconhecido no qual somos apresentados logo no início do filme. Uma mulher confidencia ao marido que está ouvindo vozes que saem pelo ralo na pia da cozinha, ao mesmo tempo que o ele sofre com o barulho incessante vindo de uma obra na casa vizinha, que acontecem inclusive de madrugada. A partir daí começa uma espiral de sangue e loucura que toma conta de todo o filme, até sua conclusão.

As histórias são interessantes e cada caso fica ainda mais macabro. Temos um homem que presencia um evento sobrenatural assustador logo nos primeiros minutos de filme, ditando o ritmo do que está por vir, um homem assombrado por algo inexplicável que acontece em sua casa a noite, uma criança cadáver e um grupo de pessoas perdidas no meio de tudo isso.

A fotografia sempre escura, a aparência dos seres sobrenaturais e até mesmo os sustos oriundos de cenas aleatórias são muito bem orquestrados. O problema do filme são os personagens “vivos” que não agregam nenhuma emoção a quem assiste. Quando os eventos acontecem, temos bastante interesse e medo do que está acontecendo mas não nos importamos com o destino deles. Um grupo de especialistas chega ao local mas infelizmente não demonstramos nenhuma empatia com suas figuras. Apesar desta ressalva, Aterrados pega transforma uma história comum em cenas perturbadoras e de uma morbidez fora do comum. Confesso que todas as cenas que envolve um ser que aparece enquanto o dono da casa dorme é uma das mais macabras que vi em tempos.


Uma frase: – “Ele estava morto a três dias e ainda assim falou comigo.”

Uma cena: O ser saindo debaixo da cama.

Uma curiosidade: 0 roteirista responsável pelo remake será Sasha Gervazi, autor de O Terminal de Steven Spielberg.

 


Aterrorizados (Aterrados)

Direção: Demián Rugna
Roteiro: Demián Rugna
Elenco:  Maximiliano Ghione, Norberto Gonzalo, Elvira Onetto
Gênero: Horror
Ano: 2017
Duração: 87 minutos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *