Crítica | Transformers: O Último Cavaleiro

Transformers: O Último Cavaleiro é o quinto filme da franquia e pelo visto não pretende encerrar por aí, já que trouxe uma nova origem sobre o primeiro contato entre humanos e máquinas. A aventura retorna com alguns personagens e introduz o grande Anthony Hopkins, que é facilmente o destaque.

Tudo se inicia com um flashback em um campo de batalha repleto de explosões, vemos o Rei Arthur e os Cavaleiros da Távola Redonda aguardando Merlin, guardião de uma arma secreta e com um poder desconhecido. O mago está bêbado, sobre um cavalo e pedindo ajuda a um Transformer – Sim, os alienígenas já estavam entre nós há muito tempo.

Voltando ao presente, temos Optimus Prime indo para Cybertron, enquanto aqui na Terra a guerra entre Autobots e Decepticons continua, mas os robôs são declarados ilegais. Cade Yeager (Mark Wahlberg) tenta ajuda-los e, durante uma de suas saídas, encontrou a jovem Izabella (Isabela Moner), em um tiroteio. Já na Inglaterra temos os personagens que amarrarão a história com os cavaleiros – Dra Vivian Wembley (Laura Haddock) e Sir Edmund Burton (Anthony Hopkins).

O diretor Michael Bay trouxe – mais uma vez – cenários deslumbrantes, belos efeitos especiais e planos rápidos pra esse filme. A proporção das naves e a quantidade de detalhes que saltam na tela na versão IMAX 3D fazem muita diferença nas cenas de ação, mas infelizmente o roteiro é sofrível.  Os diálogos são ruins e alguns com duplo sentido desnecessário.

Nota-se que existiu um pouco de preocupação em amarrar os cinco filmes numa linha do tempo, em dar algum tipo de veracidade trazendo elementos de fantasia histórica (como a colaboração dos robôs na história da humanidade). Porém, se torna uma pescaria de referências de outros filmes que estão fazendo sucesso.

Parece que não existe o perigo constante (o grande mal que se aproxima e o fim do mundo), e sim, que estão se divertindo num parque temático. O problema pode ser resolvido a qualquer hora só com força de vontade. Dá pra fazer um bom filme de ação com muitas explosões e bom roteiro sim!
O filme é válido se você busca mais de duas horas de entretenimento e quer apenas se desligar do mundo (o que não é má ideia).


Uma frase: “Eu sou Optimus Prime. E você é nada!” 

Uma cena: Optimus Prime decapitando vários inimigos com um golpe.

Uma curiosidade: Jim Carter (o mordomo Charles Carson de DowtoAbbey) é o dublador de Cogman.

.


Transformers: O Ultimo Cavaleiro
Direção: Michael Bay.
Roteiro: Art Marcum, Matt Holloway, Ken Nolan.
Elenco: Mark Wahlberg, Anthony Hopkins, Isabella Moner, Laura Haddock, Stanley Tucci, Jim Carter, Josh Duhamel, Santiago Cabrera
Gênero: Ação, Comédia, Ficção Científica.
Ano: 2017
Duração: 149 minutos
Graus de KB: 1! Mark Walhberg e Kevin Bacon atuaram juntos em O Dia do Atentado (2016)

Uma alma com boas intenções que está metendo dança. Dizem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *