Crítica | Game of Thrones – 7×02: Stormborn

No qual, Daenerys faz planos, lobos se reencontram, Jon Snow toma decisões e Ironborn derramam sangue.

O segundo episódio da sétima temporada reforça aquilo que comentamos sobre o episódio anterior: Game of Thrones pegou embalo e não dá sinais de querer desacelerar.

Aviso de SPOILERS

Os comentários a seguir falam sobre acontecimentos narrados em Stormborn, o segundo episódio da sétima temporada de Game of Thrones.

#GoT (S07E02) – Stormborn

Enquanto essas linhas são escritas, chove lá fora. Da mesma forma chove em Pedra do Dragão, assim como na noite em que Daenerys, nascida na tormenta, veio ao mundo. E essa, afinal, é sua história. Provavelmente Melisandre saiba disso, e talvez caiba não a um príncipe, mas uma princesa, cumprir a profecia para deter o Rei da Noite. Profecias são coisas perigosas e caprichosas, Melisandre deixa claro.

Por isso mesmo ela sabe que a Mãe dos Dragões precisa conhecer o Rei bastardo no Norte. Juntos, ela imagina, eles têm mais chance de fazer a profecia se cumprir. Porém, promover o mais esperado encontro de toda a série talvez não seja tão fácil quanto se imagina. Daenerys, afinal, é uma Targaryen, e uma aconselhada por um Lannister; e como os nortenhos bem lembram, não se pode confiar em um Targaryen ou um Lannister.

Ovelhas, Dragões e Lobos

Apesar de tudo, a guerra paira sobre Westeros e não há tempo a perder. Assim, Daenerys Stormborn convoca seus aliados para que lhe prestem vassalagem, e estes são nada menos do que os reis, ou talvez seja melhor dizer as rainhas, de três dos sete reinos de Westeros. A trama se desenvolve para o deleite de todos. Uma das vantagens de se ter menos episódios por temporada.

Assim, estratégias são debatidas e peças e exércitos começam a se mover. Mas quem será Daenerys nascida na tormenta? Será ela o Dragão que o ódio e o desejo de vingança de Olenna Tyrrel demandam, ou a rainha justa e sábia que, segundo Varys, o povo de Westeros precisa? Isso é algo que Daenerys ainda precisa descobrir.

Curiosamente isso é algo que Jon Snow já parece ter descoberto. De alguma forma ele aprendeu a conhecer seu próprio coração como poucos e está disposto a seguir seus instintos, mesmo que isso o coloque nas más graças de seus súditos e sua irmã. Portanto, mesmo diante de todos os protestos, após receber o convite de Tyrion Lannister ele decide se reunir com a última – ou pelo menos a última conhecida até agora – representante do clã Targaryen. Jon Snow é um lobo, afinal. Um lobo e um dragão.

Encontros e Reencontros

Claro que a notícia dada por Sam Tarly de que ela está literalmente sentada sobre uma montanha de dragonglass ajuda bastante na decisão de Jon Snow se encontrar com Daenerys. Além disso, ela tem dragões e Jon sabe que a única guerra que importa é a guerra contra o exército dos mortos. O bastardo, como já disse, sabe muito bem qual a verdadeira ameaça e sabe que para vencer o Rei da Noite o poder de Daenerys será decisivo, pelo dragonglass, tropas e dragões. E assim, o mais esperado encontro dos sete reinos começa a tomar forma.

Há outros encontros também. Talvez não tão esperados, porém não menos importantes. Como suspeitava Oldtown e Sam Tarly cada vez mais crescem em importância na trama. Enquanto seu pai e seu irmão se unem a Cersei e Jamie, Sam honra a memória do seu antigo comandante, Jeor Mormont. As pesquisas de Sam não se restringem, aliás, a ajudar Jon Snow contra os White Walkers. O destino de Jorah Mormont também está em suas mãos rechonchudas.

Arya também reencontra partes importantes de seu passado. Torta Quente a reconhece e lhe traz a importante notícia de que os Stark retomaram Winterfell, o que provavelmente salva a vida de Cersei. Sim, afinal, não haveria nada capaz de parar Arya se ela seguisse determinada em sua missão em direção a Porto Real. Mas é quando Arya decide mudar seu caminho de volta para Winterfell que seu principal reencontro se dá. Arya e Nymeria, sua loba, têm um emocionante reencontro. E é diante de Nymeria que Arya percebe o quanto de si mesma ela perdeu. Não, ela não é mais Arya Stark. Ela é ninguém. E ser ninguém é uma existência fria e solitária.

Fogo e Sangue, no mar

Mas nem tudo são questões existenciais. Não seria, afinal, Game of Thrones, sem um pouco de sexo e sangue.

Para quem apostava que um eunuco não era capaz de dar prazer a uma mulher, bem, Missandei de Naath tem algo a ensinar. Especificamente para Verme Cinzento. O que na verdade se mostra mais do que uma simples cena de sexo, mas uma bela cena de amor em meio aos prenúncios de dor e devastação.

Em outro lugar, porém, outro casal não tem a mesma sorte. Prestes a celebrar uma aliança bem íntima entre os Greyjoy e os Martell, Yara e Ellaria Sand são subitamente interrompidas. Bem, já passava da hora de Euron Greyjoy provar que ele de fato é algo mais do que meras bravatas. E isso ele faz em grande estilo.

Euron abre caminho através da frota de Yara e Theon na base da machadada e do fogo. Junto com seus homens mata dezenas e despacha – para a alegria de muitos fãs – não apenas uma, mas duas das Víboras da Areia. E quando Theon é confrontado com a selvageria de seu tio, e tem a chance de exercer o papel previamente reivindicado de protetor de sua irmã e rainha, ele revela quem de fato ele é: um covarde.

Se eu tivesse que apostar, diria que não há outro caminho para Theon senão voltar para Winterfell e encarar seus pecados do passado. Como Yara e Ellaria são agora, aparentemente, prisioneiras de Cersei, não seria grande surpresa se Theon e Arya se aliassem para uma missão de resgate e assassinato em Porto Real.

Mas isso é especular demais para o futuro. O que é certo, pelo menos para o próximo episódio, é que o tão esperado encontro entre Jon Snow e Daenerys Targaryen finalmente acontecerá. Aguardamos ansiosos pelo que virá daí.


Série: Game of Thrones
Temporada: 7ª
Episódio: 02
Título: Stormborn
Roteiro: Bryan Cogman
Direção: Mark Mylod
Elenco: Kit Harington, Peter Dinklage, Emilia ClarkeLiam CunninghamSophie TurnerAidan GillenNikolaj Coster-WaldauMaisie WilliamsConleth HillDavid BradleyIsaac Hempstead Wright, Gwendoline ChristieLena Headey, John Bradley, Kristofer HivjuRory McCannPilou AsbækIain Glen, Richard Dormer, Alfie Allen, Jim Broadbent, .Carice van Houten, Diana Rigg, Iain Glen e Indira Varma.
Graus de KB: 2 – Indira Varma atuou em Êxodo: Deuses e Reis (2014) ao lado de Joel Edgerton, que esteve em Aliança do Crime (2015) ao lado de Kevin Bacon.

 


Quadrinista e escritor frustrado (como vocês bem sabem esses são os "melhores" críticos). Amante de histórias de ficção histórica, ficção científica e fantasia, gostaria de escrever como Neil Gaiman, Grant Morrison, Bernard Cornwell ou Alan Moore, mas tudo que consegue fazer mesmo é mestrar RPG para seus amigos nerds há mais de vinte anos. Nas horas vagas é filósofo e professor.

2 thoughts on “Crítica | Game of Thrones – 7×02: Stormborn

  1. Euron veio com gosto de QUEROSENE (como já diria o grande brother Franciel Cruz) e foi fantástico. Quer dizer, foi um golpe duro em Daenerys e suas aliadas, mas foi lindo de se ver.

    O ritmo realmente está muito bom com menos episódios para enrolar.

    Destaque positivo para Verme Cinzento mostrando que é ágil não só com as mãos e o negativo para essa FISSURA da turma com cenas nojentas envolvendo Sam. Gente, parem com isso. Vai sobrar o que pra gente comer ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *