Crítica | Gênios do Crime (Masterminds)

O que levaria um cidadão comum a cometer um assalto? A querer sair da sua zona de conforto em busca de novas emoções? David Ghantt (Zach Galifianakis), protagonista de Gênios do Crime, reclama que sua vida é tediosa. Ele imaginava que ao trabalhar com o transporte de dinheiro num carro forte teria fortes emoções. Mas ele nunca foi vítima de uma tentativa de assalto. Algo tão comum em filmes de ação. Mas ao conhecer Kelly Campbell (Kristen Wiig) sua vida ganha um pouco de emoção.

Eles trabalham juntos, então ele começa a se interessar por ela. Ela é demitida e então junto com Steve Chambers (Owen Wilson) resolve assaltar a empresa que ela trabalhava. Eles só precisariam convencer David a fazer o trabalho sujo. E o inocente não resiste ao pedido dela. Ou seja, respondendo os questionamentos do início do texto: uma paixão.

Isso parece história de um filme de ação e de roubo, mas na verdade é uma comédia. Mas o enredo do jeito que foi descrito não dá a entender isso, fora a presença de atores que costumam fazer papéis de humor. Outro detalhe interessante é o fato da história ser baseada em fatos reais. O roubo aconteceu em 1997 na Carolina do Norte e até hoje foi um dos maiores da história dos EUA.

O fato de ser inspirado em fatos reais dá um “charme” ao filme. Porque ao assistir o filme enxergamos a inocência do protagonista e o absurdo da situação. Então por mais que o roteiro tenha exagerado ou mudado algumas coisas em nome do humor, aquilo ainda aconteceu de alguma forma. E os “absurdos” soam mais verossímeis.

Os atores também ajudam nessa verossimilhança. Galifianakis é perfeito para o papel de David. Ele já tinha interpretado um personagem com uma inocência parecida na trilogia “Se beber, não case”. Enquanto Wiig faz a mocinha que não quer se aproveitar da inocência do rapaz num papel mais contido sem muito humor. Quem faz um papel mais caricato é Jason Sudeikis que exagera no papel de um matador de aluguel, mas garante momentos hilários.

genios-crime-foto2

Talvez o diretor Jared Hess, que ficou conhecido por “Napoleon Dynamite”, pudesse ter explorado um pouco melhor o protagonista. Principalmente na parte pós-assalto. Mas ele prefere focar na situação e em tirar os momentos cômicos envolvidos. Não foi uma decisão ruim. Só que ele poderia ter ido mais além. Quem sabe assim o filme pudesse ter saído do lugar comum e não ser apenas uma simples comédia. O principal diferencial é o fato de ser baseado em fatos reais. Mas isso não é explorado o suficiente. Talvez se ele tivesse investido num tom mais sério além do humor, como em “Cães de Guerra”, poderia ter tido resultado mais interessante.


kevin-bacon-3

Uma frase: Kelly Campbell: O que você faria com 1 milhão de doláres?
David Ghantt: Provavelmente começaria meu próprio negócio, talvez um caçador de recompensas.

Uma cena: O ensaio fotográfico de casamento entre David (Zach Galifianakis) e Jandice (Kate McKinnon).

Uma curiosidade: Jason Sudeikis, Leslie Jones, Kate McKinnon e Kristen Wiig fizeram ou fazem parte do elenco do programa Saturday Night Live.

.


genios-crime-cartazGênios do Crime (Masterminds)

Direção: Jared Hess
Roteiro: Chris Bowman, Hubbel Palmer e Emily Spivey
Elenco: Zach Galifianakis, Owen Wilson, Kristen Wiig, Kate McKinnon, Leslie Jones e Jason Sudeikis
Gênero: Comédia, Ação, Crime
Ano: 2016
Duração: 94 minutos.

Analista de sistemas nascido em Salvador (BA) em 1980, mas atualmente morando em Brasília (DF). Cinema é sem dúvidas o meu hobby favorito. Assisto a filmes desde pequeno influenciado principalmente por meus pais e meu avô materno. Em seguida vem a música, principalmente rock e pop.

2 thoughts on “Crítica | Gênios do Crime (Masterminds)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *