A Nostalgia Era Melhor Antigamente: Caverna do Dragão – O Filho do Astrólogo (continuação)

Continuação do post da semana passada, no qual comentei a primeira parte do episódio de Caverna do Dragão intitulado “O Filho do Astrólogo“.

Na post anterior, aprendemos que os jogos políticos na cidade de Torad são mais complexos e absurdos que os do Brasil, que Kosar, Diana e Uni são uns pervertidos e que o QI médio no mundo de Caverna do Dragão não é muito elevado.

Hoje nós vamos descobrir que o cagaço é o verdadeiro superpoder de Eric, que Diana não sabe a diferença entre astrônomo e astrólogo e que a Rainha Syrith não sabe planejar muito bem.

O Filho do Astrólogo

(parte final)

Alheia às ofensas à moral e aos bons costumes cometidas pelos protagonistas do desenho, a Rainha Syrith está mais uma vez no castelo desenvolvendo um plano que, como não poderia deixar de ser, é completamente estúpido: ela fará um feitiço que instantaneamente teletransportará Kosar para seus aposentos.

Veja bem, eu não quero ser o chato aqui, mas a ideia dela não é justamente o contrário? Quer dizer, ela não quer evitar que o filho do contemplador de astros venha para a cidade? Trazê-lo para mais perto do seu objetivo não é algo meio contraproducente?

Mas tudo bem, certamente ela vai se resguardar, não é? Fechar todas as saídas, encher a sala com aqueles guardas com mira de stormtrooper, quem sabe até teletransportá-lo diretamente para uma cela?

Kosar e Diana se preparam para fugir pela janela
Spoiler: não

O feitiço leva Kosar e Diana para dentro da sala da rainha, que está completamente sozinha e com a janela aberta. Para surpresa de absolutamente ninguém, eles conseguem escapar.

Enquanto isso, o restante do grupo continua parado no meio da estrada. Embora seja um sex offender, Eric é o único que tem a proatividade de querer ir atrás da amiga desaparecida, enquanto o intrépido líder Hank prefere esperar que uma solução surja do nada.

A solução surge do nada na forma do Mestre dos Magos, que explica aos garotos o caminho para a cidade, mas adverte que um deles terá de optar entre o lar e o coração (adivinha quem).

Diana afirma ser filha de um astrólogo
Em mil anos esses dois foram os únicos filhos de contempladores de astros que apareceram na cidade? Tá faltando profissional no mercado, hein

Na cidade, Kosar tenta convencer Diana a fugir, argumentando que não faz sentido arriscar sua vida se somente ele pode cumprir a profecia. É aí então que vem a grande revelação da trama: ela também cumpre os requisitos da profecia, pois veio de um mundo ainda mais distante que o de Kosar (como você é competitiva, Diana) e também é filha de um contemplador de astros, pois seu pai era astrólogo.

Diana, senta aqui, vamos conversar. Astrólogo é diferente de astrônomo. Seu pai não contemplava porcaria de astro nenhum, ele provavelmente escrevia umas bobagens sobre signos naquela seção do jornal que não serve nem para forrar gaiola de passarinho e tentava pagar de cientista para você.

Convenientemente, o príncipe Droga os encontra bem na hora da tal chuva de estrelas da profecia, mas, logo depois, surgem os guardas da rainha. Os três então fogem e conseguem escapar por uma passagem subterrânea bem na frente dos seus perseguidores, que no entanto nada veem — também pudera, a máscara cobre o olho deles.

Guardas correm pelas ruas de Torad
O que por sinal explica a mira deles

O restante do grupo finalmente chega à cidade, mais especificamente ao templo da luz, e dá de cara com a rainha, que imediatamente os reconhece como sendo “amigos do filho do astrólogo”, muito embora seja a primeira vez que eles se encontram.

Para manter a média de QI do episódio, Eric desenvolve um plano que basicamente consiste em sair correndo tresloucadamente até chegar na frente da rainha e… só isso, ele não planejou nada a partir daí. Pior, ele ainda comemora como se tivesse dado certo às mil maravilhas, até se tocar que Syrith está pronta para atirar nele.

Braço de Eric segurando escudo. Bem à sua frente está Syrith, ameaçadora
Alguém por favor arruma um dermatologista para essa mulher

Mas pelo visto a mesma sorte que acompanha crianças e bêbados também beneficia os imbecis, pois a Rainha Syrith erra o tiro que deveria acertar Eric e termina abrindo o portão para o templo.

Se bem que, como podemos ver na imagem abaixo, o portão já começa a rachar antes do raio chegar, pelo que concluo que a força do cagaço de Eric foi o grande responsável pela abertura do templo.

Portão rachando antes de ser alcançado pelo tiro
Ainda assim, é uma forma melhor de abrir o portão do que bater nele com uma espada

Lá dentro, o Rei Travar e o Príncipe Droga abrem o alçapão secreto e gritam palavras de encorajamento de longe enquanto Diana e Kosar adentram o templo para salvar o reino. Com isso nós aprendemos duas coisas:

  1. Kosar e Diana são corajosos e abnegados, vêm do quinto dos infernos e se preocupam mais em salvar a cidade do que o próprio rei;
  2. Político é tudo igual mesmo.

vlcsnap-2016-04-09-16h42m02s621

Kosar ruma para o altar e está quase chegando, quando Diana o distrai, dando tempo à rainha para disparar um raio, ferindo-o mortalmente. Syrith comemora, a profecia não será cumprida! Mas Diana também cumpre os requisitos (mais ou menos, né?), então ela se levanta e sobe as escadas mais uma vez gritando alguma bobagem sobre ser filha de um astrólogo.

Diana é inundada pela luz no altar
Diana, meu bem, é sério. Não quero esculhambar seu pai, mas você também precisa me ajudar a te ajudar.

A profecia pelo visto também vale se você for filho de um picareta, porque ela vira um imenso ser de luz que bane o demônio Syrith para as profundezas e abre um portal para a Terra. Nossos heróis conseguem ver o parque de diversões e correm em sua direção, certos de que estão finalmente voltando para casa — é a vitória da esperança sobre a experiência.

Enquanto isso nas ruas, a celebração pela morte da rainha começa instantaneamente, todo mundo devia estar acompanhando a peleja pelo Snapchat.

Mas aí a inconveniente da Sheila fala que o Mestre dos Magos disse qualquer coisa sobre escolhas, então Diana FECHA o portal antes que seus amigos de anos possam passar — muito vacilo, podia deixar aberto para quem quisesse — e salva Kosar.

Quer dizer, salva mais ou menos. Kosar vira luz e vai para as estrelas, de modo que, para todos os efeitos, ele morreu mesmo — mas não sem antes se despedir de Diana com juras de amor eterno e prometendo lembrar-se dela a cada chuva de estrelas (aquela que ocorre a cada mil anos, lembra?).

Kosar virando luz diz a Diana que ela é a vida dele
VOCÊS SE CONHECEM HÁ MENOS DE 24 HORAS!

Então, se eu entendi bem, Diana tirou a oportunidade dos amigos de voltar à Terra para poder salvar o grande amor da sua vida que ela conheceu há quinze minutos — e que se foi de todo jeito.

Vou te falar, viu. Típico comportamento de geminiana.

Canto como Lionel Messi, jogo bola como Lionel Richie.

4 thoughts on “A Nostalgia Era Melhor Antigamente: Caverna do Dragão – O Filho do Astrólogo (continuação)

  1. Uuhauhauahua muito bom man, excelente recordação! Além disso, foi muito bom saber que não fui o único a perceber o astrólogo X astrônomo huauhauahauh, falha crítica!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *