Crítica | Bill & Ted: Encare a Música

Bill e Ted são ótimos personagens, mas que nunca tiveram um filme realmente bom. O 1º de 1989 é divertido, mas o 2º de 1991 já foi mais irregular, apesar de apresentar a Morte. Tivemos também a série animada entre os longas, em alguns pontos até melhor que a versão do cinema. Corta para 2020, a nostalgia segue forte e os estúdios têm investido em franquias com o intuito de garantir o sucesso de suas produções em torno desse sentimento. Keanu Reeves já é um astro consolidado e Alex Winter virou diretor, mas eles toparam retornar para esse universo e finalmente realizar a história “definitiva” para os protagonistas. Dessa forma, Bill & Ted: Encare a Música é sem dúvidas o mais interessante da franquia e que conseguiu atualizar bem os personagens para os tempos atuais.

A dupla Bill e Ted não vive um tempo bom. Apesar de teoricamente terem salvado o universo anos atrás, eles ainda lutam para conseguir criar a música que vai unir a humanidade. O casamento deles não está muito bem, estão fazendo terapia de casal, e suas mulheres parecem ser as únicas que levam a sério a vida de adultos. Eles tem 2 filhas, cada um tem uma, e elas parecem ser as únicas que ainda acreditam no talento musical dos pais.

Eles recebem a visita de Kelly, filha de Rufus, que veio do futuro para avisar que se Bill e Ted não criarem uma música nos próximos minutos (curiosamente o tempo de duração do filme) o universo iria se destruir. A dupla resolve tentar burlar o sistema e viajar no tempo para encontrar suas versões mais velhas e “roubar” a canção de si mesmos, enquanto suas filhas resolvem voltar no tempo para tentar recrutar uma banda para apoiar os pais.

O grande trunfo de Bill & Ted: Encare a Música é dar espaço para as filhas da protagonistas. É uma maneira inteligente de passar adiante o legado dos personagens e também atualizá-los. O filme também aposta na diversidade e após dois homens brancos salvarem o mundo, só que não, é curiosa a lista de figuras musicais histórias selecionadas para participar dando protagonismo aos negros, que são os verdadeiros criadores do rock.

O roteiro de Chris Matheson e Ed Solomon segue a mesma linha non-sense dos filmes anteriores, atualizando bem os personagens para os dias atuais e melhorando a narrativa em relação aos filmes anteriores. Contudo, na tentativa de manter o espírito das histórias anteriores utiliza alguns recursos cômicos que não funcionam muito bem. Felizmente o diretor Dean Parisot é hábil em comandar a produção e tira o melhor dos atores.

É curioso ver Reeves e Winter interpretando versões adultas de Bill e Ted, mas felizmente os atores conseguem conter os exageros e transformam os personagens em figuras verossímeis. Realmente acreditamos que é possível ver os protagonistas se tornarem adultos, mantendo o mesmo espírito de adolescentes. Mas com certeza o grande destaque de Bill & Ted: Encare a Música são as filhas, principalmente Brigette Lundy-Paine como Billie – filha de Ted. As jovens usam de maneira brilhante os trejeitos dos personagens dos pais. William Sadler, novamente no papel da Morte, também está ótimo, apesar de pouco tempo em cena.

Bill & Ted: Encare a Música também é bom tecnicamente, com um design de produção muito bom, atualizando a versão do futuro exagerada dos anos 1980 de maneira com que faça mais sentido nos dias de hoje, mas sem que perder a sua essência. Outro destaque é a montagem, que alterna bem entre os personagens, dando um ritmo dinâmico para a narrativa.

Dean Parisot conseguiu muito bem atualizar a história de Bill e Ted sem se prender apenas na nostalgia. Bill & Ted: Encare a Música realmente mostra os protagonistas encarando a música, mas principalmente a si mesmos, refletindo de maneira bem humorada sobre suas vidas e qual o seu verdadeiro papel na salvação da humanidade. É um filme que os personagens precisavam, mesmo que depois de tanto tempo.


Uma frase: – Ted: “Bill, passamos nossa vida tentando unir o mundo. Estou cansado, cara.”

Uma cena: Quando Bill e Ted encontram suas versões da 3ª idade.

Uma curiosidade: Em Maio de 2020, Alex Winter lançou um pedido nas redes sociais para que o público enviasse vídeos de 30 segundos de si mesmos curtindo alguma vídeo musical do filme. Alguns clipes foram selecionados e usados no final do filme.


Bill & Ted: Encare a Música (Bill & Ted Face the Music)

Direção: Dean Parisot
Roteiro:
Chris Matheson e Ed Solomon
Elenco: Keanu Reeves, Alex Winter, Kristen Schaal, Samara Weaving, Brigette Lundy-Paine, Anthony Carrigan, Erinn Hayes, Jayma Mays, Holland Taylor, Kid Cudi, William Sadler e Jillian Bell
Gênero: Aventura, Comédia, Música
Ano: 2020
Duração: 91 minutos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *