Equipe

A maioria dos porquinhos que aqui habitam são oriundos de chiqueiros baianos, mas temos também lamaçais em Brasília, Rio e São Paulo. A equipe é composta por diversos blogueiros frustrados uma turma que já escreve em seus blogs particulares há anos e também alguns suínos que sempre quiseram publicar seus textos, sobre os diversos temas aqui abordados (cultura pop, cinema, livros, games, etc), mas nunca tiveram uma PO.CI.L.GA. para chamar de sua.

Quem chafurda por aqui?

Filha dos anos 80, a Não Traumatizada, Mãe de Plantas, Rainha de Memes, Rainha dos Gifs e dos Primeiros Funks Melody, Quebradora de Correntes da Internet, Senhora dos Sete Chopes, Khaleesi das Leituras Incompletas, a Primeira de Seu Nome.


Amante de waifus e tsunderes.


Uma criatura meio doida que lembra a irmã do Ferris Bueller, finge que é nerd, adora filmes de terror mas tem medo de comédias românticas.


Dario Lima, além de ser faixa branca em todas as artes marciais e modalidades de combate conhecidas pelo homem, é também formado em Cinema. Mas sua verdadeira paixão são os joguinhos eletrônicos, desde que ganhou um Atari de presente do pai em uma época longínqua em que Menudo tocava nas rádios, Chevette era carro de playboy e McGyver passava na TV nas manhãs de domingo. Escreve sobre games na POCILGA e de vez em quando perturba os outros em algum episódio do Varacast.


Analista de Sistemas e gamer assíduo com mais de 20 anos de experiência (em games não em sistemas), que entre uma fase e outra gosta de pegar onda. É a primeira vez que escreve sobre si mesmo na terceira pessoa e está achando estranho.


Uma alma com boas intenções que está metendo dança. Dizem.


Canto como Lionel Messi, jogo bola como Lionel Richie.


Queria ser astronauta mas tudo o que consegui na vida foi cair de um carro em movimento, fissurar meu crânio andando de skate e zerar Alex Kid in The Miracle World no Master System. Nas horas vagas vejo filmes que ninguém conhece, mato monstros que não existem e torço por um time que nunca vence.


Quadrinista e escritor frustrado (como vocês bem sabem esses são os “melhores” críticos). Amante de histórias de ficção histórica, ficção científica e fantasia, gostaria de escrever como Neil Gaiman, Grant Morrison, Bernard Cornwell ou Alan Moore, mas tudo que consegue fazer mesmo é mestrar RPG para seus amigos nerds há mais de vinte anos. Nas horas vagas é filósofo e professor.


Um ranzinza leitão especializado em música, mas que também dá pitacos sobre cinema, quadrinhos e literatura.


Analista de sistemas nascido em Salvador (BA) em 1980, mas atualmente morando em Brasília (DF). Cinema é sem dúvidas o meu hobby favorito. Assisto a filmes desde pequeno influenciado principalmente por meus pais e meu avô materno. Em seguida vem a música, principalmente rock e pop.


Gosto de animes, mangás, quadrinhos, tokusatsu e games. É a ferro e fogo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *