Para ver e ouvir | Noite Passada em Soho

Para ver e ouvir | Noite Passada em Soho

Está no ar mais uma edição da coluna Para ver e ouvir na POCILGA, dessa vez com o filme Noite Passada em Soho. O objetivo dela é falar sobre filmes que tem uma trilha sonora tão boa que merecem um destaque.  

Agora a coluna também virou um podcast, como conteúdo extra do Varacast publicado apenas no Spotify, que disponibilizou o recurso “Música + Papo”, onde é possível incluir canções do catálogo do serviço de streaming no podcast. Ouçam no player abaixo:

Noite Passada em Soho

Geralmente aqui na coluna estávamos falando sobre filmes mais antigos, mas agora em 2021 surgiu o novo trabalho do diretor Edgar Wright que é perfeito para ela. “Noite Passada em Soho” é um longa-metragem que a trilha sonora é essencial para a narrativa, tanto que a letra das músicas escolhidas aparece com tradução nas legendas.

A trilha original de Steven Price também é fundamental para o clima do filme, mas aqui na coluna vamos focar nas canções. As músicas ajudam a contar a história e cada composição escolhida contribui de alguma forma à narrativa, seja através dos seus versos, ou então com suas melodias para ajudar a retratar o clima da época em que a trama se passa: os anos 1960. 

Até mesmo o título original, “Last Night in Soho”, foi tirado de uma canção de 1968 da banda Dave Dee, Dozy, Beaky, Mick & Tich, que aparece nos créditos finais. Um trecho diz “Na noite passada no Soho, deixei minha vida ir” e o restante da letra poderia servir quase como uma sinopse para o filme. Os nomes das personagens também foram influenciados por nome de faixas musicais: Eloise é o nome da canção de Barry Ryan e Sandie vem da cantora Sandie Shaw. 

Edgar Wright conta que desde 2007 tinha a ideia para fazer “Noite Passada em Soho” e começou a montar uma playlist para ilustrar sua história. Ele é muito fã da década de 1960, então deve ter se divertido bastante selecionando essas canções. O cineasta disse também que algumas das músicas serviram de inspiração para sequências do longa-metragem. A trilha sonora sempre tem papel fundamental na filmografia de Wright.

Apesar de ter esse clima de nostalgia e homenagem aos anos 1960, o filme lembra que nem sempre é bom glamourizar demais certas épocas. Além disso, existem questões que mesmo com o passar do tempo ainda não evoluíram o suficiente, como o machismo, outro assunto importante no filme de Edgar Wright.

Esse também é o primeiro trabalho do diretor com protagonismo feminino e isso se reflete também na trilha sonora com a presença de muitas cantoras. Anya Taylor-Joy, que interpreta Sandie, também tem a oportunidade de mostrar seu talento como cantora.

Foi difícil escolher somente 5 músicas do filme, tanto que temos uma canção bônus cantada por Anya Taylor-Joy, então nem diria que são as cinco melhores, mas sim alguns dos destaques dessa fantástica trilha sonora desse maravilhoso filme: 

Dave Dee, Dozy, Beaky, Mick & Tich – “Last Night in Soho”

Cilla Black – “You’re My World”

Sandie Shaw – “Puppet on a String”

R. Dean Taylor – “There’s a Ghost in My House”

Siouxsie and the Banshees – “Happy House”

Música bônus:

Anya Taylor-Joy – “Downtown (A Capella)

Ramon Prates

Ramon Prates

Analista de sistemas nascido em Salvador (BA) em 1980, mas atualmente morando em Brasília (DF). Cinema é sem dúvidas o meu hobby favorito. Assisto a filmes desde pequeno influenciado principalmente por meus pais e meu avô materno. Em seguida vem a música, principalmente rock e pop.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: