Review HQ | Mordida

Review HQ | Mordida

Histórias de vampiros foram exploradas à exaustão na cultura pop em diversas mídias, indo do cinema à videogames, passando obviamente pela origem na literatura. Felizmente a hq “Mordida”, de Sarah Andersen, apresenta uma versão bem inteligente, divertida, interessante, criativa e principalmente bem humorada dessas criaturas.

A protagonista é a jovem (apenas na aparência) vampira Elsie que, em seus 300 anos de vida, nunca encontrou um par perfeito. Eis que um dia em um bar ela conhece Jimmy, um encantador lobisomem, e apesar das suas diferenças e peculiaridades, surge entre eles uma história de amor. 

Felizmente, do ponto de vista de Sarah Andersen, essa história de amor entre uma vampira e um lobisomem passa bem longe da famosa franquia Crepúsculo, pois, graças ao humor ácido da autora, a experiência de ler “Mordida” se mostra extremamente divertida. A hq não é narrada através de pequenas tiras, uma por página, então apesar de não seguir uma linha exatamente linear, o resultado final é uma história “convencional” com começo, meio e fim.

A maneira como a autora aborda o mundo dos vampiros é o grande diferencial da hq, onde ela retrata a vida de uma vampira moderna e como a personagem se adapta ao mundo atual. Sarah brinca de maneira rápida e inteligente tanto com as particularidades dela, Elsie, quanto dos lobisomens na figura de Jimmy. É divertido como, por exemplo, quando eles vão tirar uma selfie juntos, a protagonista não aparece, ou de como ela trata o namorado em alguns momentos como se fosse um cachorro. Contar mais sobre isso pode estragar a experiência de ler “Mordida”.

O mais importante é que no relacionamento um respeita as diferenças do outro, então nas entrelinhas também fica a mensagem da importância do respeito nos relacionamentos, para evitar abusos. Apresentar isso através de um casal formado por uma vampira e um lobisomem é realmente bem criativo e interessante, mas isso só funciona graças ao talento de Sarah.

O visual da hq também é legal e explora bem os traços simples e marcantes da autora, com influência gótica, onde através do uso de preto e branco faz humor com o fato de Elsie usar apenas roupa preta, cor característica do figurino dos vampiros. 

É fascinante também constatar que apesar de ter personagens fantásticos como protagonistas, as situações exploradas em “Mordida” mostram muito do drama real do que seria se apaixonar por alguém perfeito para você, mesmo sendo tão diferentes. 

A hq teve um lançamento de luxo no Brasil, com direito até a capa dura de tecido, que mostra a importância da qualidade do produto físico para melhorar a experiência do leitor ao ler a revista. Mas para quem preferir, “Mordida” também está disponível em formato digital.


Classificação: 


Mordida (Fangs)

Autora: Sarah Andersen
Tradução: Sofia Soter
Editora: Seguinte
Número de páginas: 112

Ramon Prates

Ramon Prates

Analista de sistemas nascido em Salvador (BA) em 1980, mas atualmente morando em Brasília (DF). Cinema é sem dúvidas o meu hobby favorito. Assisto a filmes desde pequeno influenciado principalmente por meus pais e meu avô materno. Em seguida vem a música, principalmente rock e pop.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: