Crítica | Duas Tias Loucas de Férias

Crítica | Duas Tias Loucas de Férias

O humor da comédia “Duas Tias Loucas de Férias” mistura ingenuidade com nonsense de maneira leve e criativa. A dupla de protagonistas Kristen Wiig e Annie Mumolo também é responsável pelo roteiro e constroem uma narrativa que explora muito bem a comédia do ponto de vista de mulheres de meia idade, misturando com outros gêneros, como espionagem e musical, que apesar do absurdo, mantém uma coesão impressionante.

Kristen Wiig já é conhecida por seu humor absurdo com personagens excêntricas em que ela explorou de maneira brilhante no programa de TV Saturday Night Live. Já Annie Mumolo tem mais experiência como roteirista, tendo sido indicada ao Oscar pelo filme “Missão Madrinha de Casamento”, que ela escreveu com Wiig. Juntas novamente em “Duas Tias Loucas de Férias” a dupla assume também o protagonismo da história, dessa forma conseguem ir um pouco mais além, com uma mistura de comédia tradicional com toques de surrealismo.

A dupla dá vida às personagens Barb e Star, duas melhores amigas e mulheres de meia idade que após serem demitidas do seu trabalho, resolvem tirar férias e viajar para a cidade Vista Del Mar, no estado da Flórida, nos EUA. O local é um paraíso na beira de praia, mas a viagem delas promete fortes emoções.

O interessante de “Duas Tias Loucas de Férias” é que enquanto apresenta a história das personagens Barb e Star, o filme também introduz uma vilã chamada Sharon Fisherman, que também é interpretada por Kristen Wiig. Sharon parece uma versão feminina do Dr. Evil de Austin Powers e Wiig a constrói da maneira mais absurda possível. Essa “antagonista” tem um plano mirabolante que envolve a cidade de Vista Del Mar, assim ela manda o seu capanga Edgar Paget (Jamie Dornan) colocar o esquema em prática no local. O curioso é que Edgar tem um interesse romântico em Fisherman, de forma que ele só aceita o trabalho para conquistar o seu coração.

Quando o destino de Edgar se cruza com os de Barb e Star é que “Duas Tias Loucas de Férias” assume uma mistura de gêneros peculiar, onde passa de filme de espião a musical, sempre mantendo o tom cômico, e de maneira impressionante preservando a coesão. As cenas de músicas são muito boas, então vale destacar o momento em que as protagonistas chegam no hotel e principalmente a parte em que Edgar canta uma música romântica.

Essa louca mistura de gêneros só se sustenta graças ao talento de Kristen Wiig e Annie Mumolo, tanto no roteiro que mantém a ingenuidade e o nonsense de maneira equilibrada, como em cena. A dupla tem uma química muito boa e bastante carisma, que beneficia o timing cômico das duas. Juntas elas conseguem fazer com que o espectador acredite que aquelas personagens sejam reais, por mais que utilizem alguns clichês, já que elas conseguem explorar os limites do absurdo da situação que é apresentada no filme. É interessante também ver Jamie Dornan transitando entre a seriedade e o humor, sem perder o tom de sua atuação.

Em síntese, “Duas Tias Loucas de Férias” se destaca por dar protagonismo a personagens femininas de meia idade e mostra que é possível explorar o humor das maneiras mais absurdas possíveis, sem passar do ponto. O diretor Josh Greenbaum conseguiu captar bem a mistura entre a ingenuidade e nonsense, e a dupla de protagonistas mostra todo o seu talento para garantir boas risadas ao espectador.


Uma frase: – Star: “Você nunca se perguntou se o oceano real soa como nossa máquina de ruído?”

Uma cena: A chegada de Barb e Star no Vista Del Mar Hotel.

Uma curiosidade: A definição de “culottes” apresentada na tela inicial foi adicionada mais tarde na edição, quando todos perceberam que a maioria das pessoas não os conhece e os ama tanto quanto os envolvidos no filme.


Duas Tias Loucas de Férias (Barb and Star Go to Vista Del Mar)

Direção: Josh Greenbaum
Roteiro: Kristen Wiig e Annie Mumolo
Elenco: Kristen Wiig, Annie Mumolo, Jamie Dornan e Damon Wayans Jr.
Gênero: Comédia
Ano: 2021
Duração: 107 minutos

Ramon Prates

Ramon Prates

Analista de sistemas nascido em Salvador (BA) em 1980, mas atualmente morando em Brasília (DF). Cinema é sem dúvidas o meu hobby favorito. Assisto a filmes desde pequeno influenciado principalmente por meus pais e meu avô materno. Em seguida vem a música, principalmente rock e pop.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: