Review HQ | Superman: Ano Um

Os primeiros anos de vida do Superman já foram apresentados diversas vezes nos quadrinhos e também em outras mídias, como filmes, animações e seriados. Depois de fazer o Ano Um do Batman, agora é a vez de Frank Miller fazer o do Homem de Aço. Em “Superman: Ano Um” ele se junta com o desenhista John Romita Jr. para contar uma nova versão da origem do personagem da DC.

A HQ faz parte do selo DC Black Label, que tem como objetivo apresentar histórias dos personagens do selo com uma pegada mais madura voltada para o público adulto. Superman: Ano Um foi lançada no Brasil pela Panini Comics em 3 volumes, cada um com 72 páginas.

Miller é sem dúvidas um dos maiores nomes dos quadrinhos, responsável por grandes clássicos como Cavaleiro das Trevas e Sin City, no entanto nos últimos tempos tem apresentado trabalhos bem irregulares. Superman: Ano Um infelizmente não foge desse padrão.

É interessante ver o autor explorando as origens do Homem de Aço e a HQ apresenta elementos relevantes para entender o personagem e sua mitologia. No primeiro volume vemos como Clark na época do colégio, algo que vimos à exaustão na série Smallville. Na versão de Miller o protagonista não se faz muito de “tonto”, mas é esquisito vê-lo lidar com o bullying usando violência.

A arte de John Romita Jr. também é irregular, onde em alguns momentos o desenhista parece não ter uma noção clara da proporção anatômica dos personagens. Contudo, ele se redime em outros aspectos, principalmente nos cenários. O resultado final é uma sensação meio tosca e surreal, algo parecido com o que o artista apresentou em Batman – O Cavaleiro das Trevas 2, também junto com Miller.

No volume 2 a HQ se perde de vez ao apresentar Clark indo para o exército. É algo diferente na biografia do personagem, mas nunca fica claro qual o seu real objetivo ao fazer parte do corpo militar. Ele quer aprender a lidar com a violência ou como usá-la a seu favor? Para piorar, na segunda parte o protagonista vai parar em uma história de amor no fundo do mar que não faz o menor sentido dentro da narrativa.

Por outro lado, ao referenciar uma parte da mitologia do Superman que é pouco conhecida mostrando o relacionamento do protagonista com Lori Lemaris, a hq de Miller faz uma bela homenagem ao personagem. Em cada volume um dos grandes amores de Clark é citado. No 1º temos Lana Lang e por último a mais conhecida: Lois Lane. Todas com as iniciais LL, algo recorrente no universo do Homem de Aço, inclusive com seu vilão Lex Luthor.

O volume final é o mais interessante e faz com que Superman: Ano Um tenha um desfecho que torna a lida da HQ satisfatória. Tem o problema de citar apenas rapidamente a passagem de Clark pela faculdade, mas faz uma conexão significativa com o universo da DC, inclusive com a presença de outros personagens. Vemos a versão mais clássica do personagem no que realmente poderia ser classificado como seu Ano Um de carreira.

Em síntese, Superman: Ano Um é voltado para fãs do personagem interessados em ver uma nova visão da origem do Homem de Aço, mas que funciona também para aqueles que querem apenas conhecer mais sobre o protagonista. A visão de Miller e Romita é irregular, mas tem um resultado positivo. E o selo DC Black Label é uma ótima chance para fãs de quadrinhos de heróis ver os personagens de um ponto de vista mais adulto.


Classificação:


Superman: Ano Um

Autor: Frank Miller
Arte: John Romita Jr.
Editora: Panini Comics / DC
Número de páginas:
72 (cada volume)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *