Review | A Máfia dos Tigres

Tentar explicar a série documental da NetflixA Máfia dos Tigres” é uma tarefa bastante complicada. Volta e meia somos apresentados a submundos que nunca imaginávamos que poderiam existir, e não estou falando de realidades paralelas ou outras dimensões. Dentre tantos capazes de fazer nossas cabeças explodirem, o submundo da criação de grandes felinos ganha contornos épicos numa sucessão de reviravoltas e insanidades neste seriado que é, por mais que pareça obra de ficção documental, baseado em acontecimentos reais.

A série nos apresenta a grandes personalidades que decidiram dedicar a sua vida a criar tigres e outros grandes animais selvagens. Dentre todos, o que mais chama atenção e, poderíamos dizer (caso fosse uma história ficcional) é o principal protagonista, se chama Joe Exotic. De fã dos felinos a dono de um zoológico particular nos Estados Unidos, essa figura extremamente carismática ganha contornos que talvez apenas Scorcese fosse capaz de explicar.

A medida que outras figuras (excêntricas) são apresentadas, outros donos de zoo amante dos grandes felinos e pretensos(as) defensores de animais, é que “A Máfia dos Tigres” faz inveja a qualquer produção de Shyamalan (O 6º Sentido, Sinais) ou até mesmo do pouco conhecido e lunático Quentin Dupieux (Rubber, Wrong). A quantidade de plot twists e maluquices (vamos chamar assim) é, simplesmente, surreal. 

Numa escalada de acontecimentos que envolvem desaparecimentos “misteriosos”, poligamia, rivalidades acirradas, golpes, trambiques e até encomendas de assassinato, esta é uma daquelas séries documentais que te fazem repensar a vida e rever conceitos que, antes, te traziam alguma paz ou, quanto nada, esperança de que as coisas tendem a caminhar para a normalidade mundo afora.

A cada episódio, a cada revelação, o espectador tende a ficar ainda mais fisgado na história. Os episódios são um pouco extensos assim como a série no geral. Se fosse um pouco mais curta talvez não desse pra apresentar toda as insanidades, ainda assim evitaria a sensação de desgaste perto de seu desfecho. Só que a trajetória de algumas pessoas, dentre elas a de Joe Exotic, é o suficiente para te fazer ir até o último capítulo ávido por descobrir tudo o que aconteceu.

Vale a pena?

Para aqueles que estão interessados em escapar das notícias e se desligar um pouco, “A Máfia dos Tigres” é uma grande pedida. Tanto o submundo dos criadores de grandes felinos como o caos que são as relações apresentadas nesta série documental, entre tantas figuras folclóricas e, não se enganem, perigosas, são um prato cheio para fazer sua cabeça explodir diversas vezes. 

Joe Exotic e os filhotes fofos

Só é triste que, no fim das contas, os maiores prejudicados continuaram sendo os animais. E não estou falando dos animais que surgem na história confabulando traições e “jogadas” criminosas. Os tigres e tantos outros grandes felinos e animais selvagens são os verdadeiros protagonistas desta trama insana e cheia de reviravoltas e, por consequência, acabam sendo os mais injustiçados.


A Máfia dos Tigres (Tiger King: Murder, Mayhem and Madness)

Ano: 2020
Serviço/Distribuidora: Netflix
Temporada: 1º
Nº de Episódios: 7
Gênero: Série Documental, Crime.

2 thoughts on “Review | A Máfia dos Tigres”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *