Review HQ | David Bowie: Stardust, Rayguns & Moonage Day Dreams

Contar a história de alguém através da arte nunca é uma tarefa fácil. As mais comuns são livros de biografia ou então o cinema, através de cinebiografias. A literatura talvez seja a mais completa e o filme a mais fácil de se alcançar um grande público. No entanto, existem artistas que transcendem diversas formas de se expressar, como David Bowie.

Enxergando dessa forma, contar sua história através dos quadrinhos é uma maneira interessante e criativa de abordar a vida desse grande músico. Assim Mike Allred (arte) e Steve Horton (roteiro) se juntaram na graphic novelDavid Bowie: Stardust, Rayguns & Moonage Day Dreams”, narrando de forma colorida e divertida a saga do camaleão Bowie.

Sem dúvidas o que mais chama a atenção na graphic novel são as cores, afinal de contas uma das coisas que mais chamou a atenção na carreira de David Bowie foi o seu visual. É muito interessante ver o figurino e a parte icônica visual do artista traduzida para os quadrinhos. Mike Allred representa muito bem essa parte visual com traços que em alguns momentos são extremamente realistas e transposições literais de capas de discos e roupas, mas em outros quadrinho mostra sua visão pessoal e a mistura de vários elementos reais e fantasiosos.

Afinal de contas, a composição dos personagens de Bowie mostrava justamente essa viagem visual através do figurino em um mundo fantasioso onde música e imagem se transformavam em uma grande manifestação cultural.

O roteiro de Steve Horton é inteligente em apresentar de forma direta os principais momentos da vida pessoal de Bowie, além dos pontos mais importantes de sua carreira. A passagem de tempo é representada através de datas, que mostram os principais momentos da história do artista.

David Bowie: Stardust, Rayguns & Moonage Day Dreams foca mais na parte musical do artista e é interessante a forma como mostra as influências e encontros musicais de David com outros artistas. Então se uma hora ele está em um show do Velvet Underground, em outro ele encontra com Iggy Pop e começa uma amizade com ele.

Outro grande destaque da graphic novel é a transformação de Bowie em Ziggy Stardust, mostrando a ascensão e queda do personagem mais famoso da carreira do artista. Foi justamente nessa fase que a parte visual chamou mais a atenção com figurinos, maquiagem e cabelo “chocantes” com um estilo andrógino, que virou a marca registrada de David. É nesse momento que as cores e os traços de Mike Allred apresentam toda a sua força visual e o artista mostra todo o seu lado de fã ao representar diversos momentos icônicos de Bowie.

A importância de Ziggy Stardust na graphic novel é tanta, que também serve para fechar a narrativa em grande estilo. Tudo bem, isso também é um “problema”, já que o final da vida de David Bowie fica um pouco de lado, caindo em um clichê parecido com os de cinebiografia, quando o artista consegue vencer o seu maior desafio a história chega ao fim. Ainda assim, a dupla Mike Allred e Steve Horton faz um ótimo trabalho ao apresenta uma biografia de Bowie de maneira diferente, criativa e divertida. Uma HQ feita por fãs para fãs.


Classificação:


David Bowie: Stardust, Rayguns & Moonage Day Dreams

Autor: Steve Horton
Arte: Mike Allred
Editora: Panini Comics
Número de páginas:
164

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *