Crítica | História de um Casamento

A filmografia de Noah Baumbach tem nas relações familiares seus principais temas, no entanto em História de um Casamento o diretor finalmente conseguiu captar com maestria a emoção em torno dessa relação. O filme apresenta o divórcio de um casal do ponto de vista de cada um, dessa forma mostra como marido e mulher podem ser considerados os “vilões” a depender de como se enxergue a situação.

O divórcio é um momento complicado na vida de qualquer casal, por mais amigável que seja. Apresentar e construir essa narrativa sem tomar lados é uma tarefa complicada. Baumbach, que também escreveu o roteiro, desenvolve sua história de maneira brilhante, ainda que a depender das experiências pessoais do espectador ele tenda e achar que um lado seja mais “vitimista” que o outro. Não é uma tarefa fácil achar esse equilíbrio. Para isso funcionar, outro elemento foi muito importante: o elenco.

Scarlett Johansson e Adam Driver entregam performances magistrais, mostrando todas as nuances de seus personagens. História de um Casamento começa com cada um deles, Nicole e Charlie, lendo um pequeno texto onde descrevem o outro, enquanto vemos imagens de suas vidas. Um casal feliz, com um filho pequeno (fator que complica ainda mais o divórcio), em uma ótima vida. Aí entra o trabalho da montagem, outro elemento importante do filme, ao cortar para uma cena onde encontramos o casal em uma sessão de terapia. Ou seja, por mais que um enxergue o outro de forma positiva, como um bom pai e uma boa mãe, o sentimento de amor entre eles não é mais o mesmo. Baumbach já quebra as expectativas, já que estamos diante de uma história de casamento, mas não sobre o início dele, e sim sobre o fim.

Nova York X Los Angeles

O diretor apresenta um outro elemento interessante para mostrar as diferenças entre o casal, ao fazer uma metáfora entre as cidades de Nova York e Los Angeles. A família de Nicole é de LA e ela se mudou para NY para trabalhar com o marido na companhia de teatro dele, que é o diretor. Mas agora com o fim do casamento, ela aproveita para voltar a sua cidade natal, ficar mais próxima da família e trabalhar como atriz em uma série de TV.

A diferença entre as cidades é um ótimo paralelo para a diferença entre os interesses do casal, já que Charlie enxerga as praticidades de deslocamento de NY como uma grande vantagem, enquanto Nicole vê em LA uma nova chance para sua carreira e nova vida.

O contraste das cores da cidade, uma sempre ensolarada e quente, enquanto a outra tem cores mais frias e um clima mais nublado, diz muito sobre as diferenças entre as prioridades do casal e Baumbach explora isso muito bem.

Vamos resolver isso amigavelmente e sem advogados

A presença dos advogados para cuidar da separação é outro elemento muito bem explorado por História de um Casamento. Quando um casal termina o relacionamento amigavelmente, é normal querer resolver as coisas sem a presença de advogados. E era isso que Nicole, e principalmente Charlie, acharam que seriam capazes de fazer. Ainda mais pensando no filho pequeno. Mas o que vemos na prática não é bem isso.

A emoção sempre pode falar mais alto que a razão e o diretor sabe disso ao explorar essa linha tênue da relação dos personagens. Nicole ouve um conselho e resolve contratar a advogada Nora Fanshaw (Laura Dern), para ter certeza de que seus interesses na separação serão atendidos. Mas Charlie não enxerga isso com bons olhos e tem muita dificuldade em encontrar um advogado para ele.

Através dos advogados vemos o pior lado do casal, já que cada lado quer defender o seu, mesmo que para isso seja necessário aumentar ou exagerar em algum defeito do outro. A audiência de conciliação é brilhante em retratar isso e ainda conta com atuações muito boas da já citada Laura Dern e também de Ray Liotta. E quando vemos depois Nicole e Charlie discutindo a respeito na casa dele, percebemos que a separação amigável não seria viável.

Tudo acaba em… música

História de um Casamento tem uma premissa simples: um divórcio, mas sabemos que a vida real é muito complexa, por mais simples que pareça. Dessa forma, Noah Baumbach explora muito bem todas as nuances da narrativa e de seus personagens. E por mais que ele explore tudo de maneira muito verossímil, a trama tem seus alívios cômicos para não se transformar em um “dramalhão”.

Um elemento que o diretor insere na narrativa é a música, seja na trilha sonora, mas também na forma de “musical”, onde tanto Nicole quanto Charlie tem seus respectivos momentos musicais para brilhar e quebrar um pouco o clima da narrativa. Essas cenas são bem impactantes e ajudam a incrementar ainda mais a personalidade dos personagens. Era a cereja do bolo que faltava para transformar História de um Casamento em uma experiência ainda mais agradável (apesar do clima agridoce) e emocionante.


Uma frase: – Nicole: “Charlie e eu estamos nos divorciando, mãe. Não pode mais ser amiga dele.”

Uma cena: Nicole e Charlie discutindo na casa de Charlie em Los Angeles.

Uma curiosidade: Baseado boa parte na própria experiência do diretor Noah Baumbach quando ele se divorciou da atriz Jennifer Jason Leigh em 2013. De acordo com Baumbach, Leigh assistiu ao filme e gostou. E o elenco também contribuiu para o roteiro. Scarlett Johansson e Laura Dern passaram por divórcios e Adam Driver é filho de pais divorciados.


História de um Casamento (Marriage Story)

Direção: Noah Baumbach
Roteiro:
Noah Baumbach
Elenco: Scarlett Johansson, Adam Driver, Laura Dern, Alan Alda, Ray Liotta, Julie Hagerty e Merritt Wever
Gênero: Comédia, Drama, Romance
Ano: 2019
Duração: 136 minutos

2 thoughts on “Crítica | História de um Casamento”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *