Crítica | Os 3 Infernais (3 from Hell)

Durante o início dos anos 2000 os filmes de terror passavam por uma fase “adolescente” com produções protagonizadas e voltadas para esse tipo de audiência, principalmente após o sucesso de “Pânico” em 1996. Foi então que o músico Rob Zombie apareceu com uma proposta diferente, fazendo referência aos clássicos cult e trash do gênero da década de 1970. Ele dirigiu “A Casa dos 1000 Corpos” em 2003 a continuação “Rejeitados pelo Diabo” em 2005, longas que tinham um certo frescor pelo clima nostálgico com uma pegada mais atual. Eles o credenciaram como uma promessa nos filmes de terror. Zombie também dirigiu remake de “Halloween” em 2007 e uma continuação em 2009. No entanto, algo aconteceu com o músico e diretor, e ele começou a perder a mão nos seus trabalhos seguintes, como no irregular “As Senhoras de Salem”. Chegamos então a 2019, onde Os 3 Infernais fecha a trilogia iniciada em 2003.

Os 3 protagonistas Otis (Bill Moseley), Baby (Sheri Moon Zombie, mulher do diretor) e o palhaço Capitão Spaulding (Sid Haig) estão presos pelos seus crimes. O filme começa de maneira razoavelmente interessante, simulando um documentário, onde vemos um resumo do que aconteceu com os personagens. O ator que interpreta Spaulding estava muito doente durante as filmagens, e faleceu pouco depois do lançamento de Os 3 Infernais, então ele faz apenas uma pequena participação especial.

Otis consegue fugir da prisão e se junta a Foxy (Richard Brake), seu meio-irmão e novo personagem para suprir a falta de Spaulding, para arquitetar um plano para soltar Baby. Depois os 3 se juntam para voltar a fazer a única coisa que sabem: tocar o terror.

O roteiro de Rob Zombie não consegue apresentar uma justificativa minimamente interessante para reunir os personagens novamente. Tudo que ocorre no filme parece artificial e gratuito. Além disso, a história transforma os protagonistas em pessoas unidimensionais e caricatas. A coisa é tão absurda que é constrangedor ver, por exemplo, Otis reclamar do comportamento da irmã Baby, para logo em seguida fazer algo tão sem noção quanto.

Moseley, Moon e Brake também não ajudam, entregando atuações bem ruins que beiram o ridículo por causa da caricatura. O roteiro de Zombie contribui para isso, mas a sua direção de atores também prejudica o resultado. As frases de efeito que saem da boca dos atores são tão ruins, que beiram o constrangimento. Fica difícil entender as motivações e objetivos dos personagens, que se transformam em figuras sem nenhum carisma, ao contrário dos filmes anteriores.

Na tentativa de usar mais uma vez a inspiração dos filmes de terror dos anos 1970, Zombie entrega algo mal realizado e principalmente sem alma. Os simbolismos que o diretor utiliza para mostrar que seus personagens são anárquicos e contra o sistema são terríveis, como por exemplo, ao colocar Baby – uma mulher branca – usando um cocar indígena em uma luta onde mata diversos mexicanos.

A falta de alma e inspiração do cineasta também se reflete na parte técnica, onde Zombie usa câmera lenta de forma “estilizada” de maneira ruim, e também ao utilizar alguns efeitos de montagem para emular o filme dos anos 1970 sem sucesso. A única coisa da época que ele consegue usar de maneira adequada é a trilha sonora, único ponto onde Os 3 Infernais consegue relembrar ao espectador o período no qual a história se passa.

Em síntese, Os 3 Infernais apresenta uma história desnecessária onde o diretor Rob Zombie estraga a trama dos personagens que ele criou em 2005. Parece um filme para cumprir contrato com a produtora, apesar de não fazer sentido que isso só tenha sido “cobrado” 14 anos depois. Parece que o músico estava sem ter inspiração para uma nova obra cinematográfica e achou mais fácil seguir pela nostalgia ao trazer seus “clássicos” personagens de volta à tela, mas infelizmente errou a mão de maneira terrível. É uma pena, mas talvez seja melhor para Zombie seguir apenas como cantor, porque como cineasta parece que o talento e inspiração acabaram.


Uma frase: – Otis: “Eu sou a justiça!”

Uma cena: Quando um palhaço tenta fazer Otis e Foxy rirem para não ser morto por eles.

Uma curiosidade: A pós-produção do filme atrasou 5 meses devido a turnê de Rob Zombie junto com Marilyn Manson.


Os 3 Infernais (3 from Hell)

Direção: Rob Zombie
Roteiro:
Rob Zombie
Elenco: Sheri Moon Zombie, Sid Haig, Bill Moseley e Richard Brake
Gênero: Horror
Ano: 2019
Duração: 115 minutos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *