Crítica | A Terra é Plana (Behind The Curve)

O documentário “A Terra É Plana”, disponível no catálogo da Netflix, foge do ‘óbvio’: desmerecer ou fazer apenas chacota de seus seguidores. Ele segue um caminho muito interessante ao se concentrar na mente (sim, eu sei) e nos corações dos “teoristas” (eu sei, eu sei) que acreditam (será?) e afirmam que uma das maiores verdades universais é um grande engodo, uma das maiores conspirações mundiais, afinal, segundo eles, a Terra é Plana.

Seguindo a profecia apresentada no filme Idiocracia, uma quantidade absurda de pessoas acreditam, nos dias atuais, que a Terra é plana. Essa crença não é baseada por evidências científicas ou extensos estudos, mas sim pela percepção que eles têm do mundo. Basta olhar o horizonte, ele é plano oras! Ou melhor, se o nosso planeta está girando a mais de 1700 km por hora em torno do seu próprio eixo, como é que não sentimos isso?

Patricia na convenção dos terraplanistas

Ao invés de tentar focar apenas em contestar a teoria dos terraplanistas (até porque não precisa, a própria teoria em si não se sustenta), o documentário aprofunda o olhar na comunidade e em seus defensores. Em meio a tantos absurdos, podemos ver que, na verdade, o que fala mais alto é o senso de pertencimento humano. O ser humano possui em seu âmago o instinto de pertencimento, a ideia de fazer parte de uma comunidade anima qualquer um (exceto Lars Von Trier), e a dos que acreditam que a Terra é Plana, em sua essência, não difere muito de outros grupos. Temos dentre eles os que se destacam e se sentem, de alguma forma, os líderes e despertam (em si e nos demais) outras emoções como a vaidade e até mesmo o amor próprio.

A direção de Daniel J. Clark é ótima justamente por conseguir humanizar os terraplanistas não apenas apresentando o lado do ‘show business’ que toda essa comunidade acaba promovendo, mas também indo no dia a dia deles e acompanhando as suas rotinas e famílias.

Obviamente que existem os contrapontos em adição aos teoristas da Terra Plana, e o documentário apresenta um psiquiatra e alguns cientistas que tentam “entender” essas mentes brilhantes. Esses momentos trazem uma comédia quase que culposa mesmo percebendo que, se deixarmos apenas eles ‘correndo solto’, tentando COMPROVAR que estamos apenas à mercê de uma grande conspiração mundial, ou melhor, universal. Só isso já é por si só hilário.

Todos contra a grande conspiração

A Terra é Plana é, surpreendentemente, um ótimo documentário. O olhar humano que ele traz em meio a tantos absurdos o torna uma daquelas comédias “não intencionais”, principalmente quando eles tentam realizar experimentos para tentarem provar a sua teoria e acabam, seguidamente, ‘descomprovando’ tudo o que acreditam. Existe um momento próximo ao desfecho em que um sujeito, perplexo, diz “hum… interessante” que é simplesmente impagável.


Uma frase: – “Hum… isso é interessante!”

Uma cena: Quando acompanhamos alguns terraplanistas fazendo um experimento envolvendo feixes de luz para comprovar que a Terra é Plana.

Uma curiosidade: A Terra, na verdade, possui a forma de uma esfera e não é plana.


A Terra é Plana (Behind the Curve)

Direção: Daniel J. Clark
Elenco: Mark K. Sargent, Jeran Campanella, Dave Chappelle, Robbie Davidson, Hannalore Gerling-Dunsmore, Lamar Glover, Stephen Hagberg, Brian Hickey, Scott Kelly, Jimmy Kimmel, Bob Knodel, Darryle Marble, Spiros Michalakis e Bill Nye.
Gênero: Documentário
Ano: 2018
Duração: 96minutos

6 thoughts on “Crítica | A Terra é Plana (Behind The Curve)”

  1. Eu tive sentimentos conflitantes com esse documentário. Muitas vezes eu ri de vergonha alheia, outras eu ri de nervoso. É preocupante como os terraplanistas estão crescendo e ganhando espaço na mídia, seja pelo viés do ridículo, seja pela tentativa de entendê-los…

    1. Achei um exercício válido porque eles, sozinhos, são capazes de mostrar o quão sem fundamento estão e, pior, seus próprios experimentos acabam desaprovando as suas teorias.

      Quando trazem cientistas e um psiquiatra para explicar os porquês, aí a coisa fica ainda pior (ou melhor hehehe)

  2. Um documentário que beira a insanidade e gera constrangimentos, além de iludirem milhares de pessoas com teorias loucas e sem base cientifica nenhuma e ainda desmerecendo os cientistas.
    Sim, devemos sempre questionar, porém com razoabilidade.

    1. Pior é pensar que estes terraplanistas não sentem nenhum constrangimento em ignorar a ciência e seguir adiante com essa maluquice sem fundamentos.

      Esse lance de desmerecer a ciência é a caça as bruxas do século 21. Terrível

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *