Review | Ghoul: Trama Demoníaca – 1ª Temporada

Uma série de terror indiana disponível na Netflix estava figurando entre os últimos lugares da minha lista de prioridades faz algum tempo. Sempre que eu ensaiava a assisti-la, aparecia algo mais urgente que chamava minha atenção. Depois de muito vai e volta, dei uma chance a série Ghoul e depois fiquei me perguntando porque não tinha feito isso antes.

Com apenas três episódios a série conta uma história que se passa em uma Índia distópica, aparentemente no futuro, onde o Governo é altamente repressor e o exercito tem uma mão firme de força policial. A protagonista Nida Rahim faz parte deste exercito e pode ser considerada totalmente confiável, sacrificando inclusive na própria carne para denunciar possíveis traições ao governo. Nida acredita de fato que aquele regime totalitário é bom, faz o que é melhor para a população e inclusive relativiza a tortura e os assassinatos acreditando que eles eram justificados. Não é a toa que sua especialidade é no setor de interrogatórios, onde consegue extrair qualquer informação de um preso. E por mais que não pareça, ela é uma boa pessoa, mas infelizmente sofreu uma lavagem cerebral que não a permite enxergar além das suas convicções políticas… E cá pra nós, conhecemos muitas pessoas assim, não?

Nida é enviada para trabalhar uma prisão onde a regra é não ter regra, sem sombra de direitos civis ou qualquer humanidade. Lá não há como saber se é dia ou noite e tudo parece escuro e frio.  Tudo muda quando chega ao presídio Ali Saaed, um homem acusado de ser um grande terrorista. Este prisioneiro traz consigo um mal que vai tomar a vida de todas as pessoas dentro daquele lugar, policiais e internos, levando morte e destruição. Logo que Ali Saaed chega ao presídio, somos brindados com uma espetacular cena de interrogatório que é recheada de tensão e expectativa onde você terá medo de fechar os olhos e perder algum detalhe.

O ambiente do presídio, a escuridão das celas e dos corredores, a tensão presente nas relações entre policiais e encarcerados, o sofrimento causado por aquele regime totalitário, tudo é ferramenta para aumentar o tom de medo ocasionado pela presença daquela entidade no local. Por ser uma série bem curta, praticamente um filme dividido em três partes, não há espaço para enrolação mas apesar disso senti dificuldade em me aproximar de todos os personagens, me importando com o destino deles. Me peguei mais curiosa em saber informações a respeito do ser e pouco interessada na vida daquelas pessoas. Não me aprofundei muito nos detalhes da série para evitar spoiler desnecessário e vale apena assistir Ghoul com o mínimo de informação possível. Se quiser falar com mais detalhes vem nos comentários para um bate papo! Se ainda não viu, não faça como eu e dê uma chance a esta série de terror que vai te surpreender!


Ghoul, foto

Uma cena: A cena do interrogatório de Ali Saaed 

Uma curiosidade: Ghoul foi concebido para ser um filme mas quando a Netflix entrou no jogo, transformou em uma minissérie em 3 episódios.

 

 

.


Ghoul: Trama Demoníaca (Ghoul)Ghoul, cartaz

Direção: Patrick Graham
Elenco: Manav Kaul , Radhika Apte , Rohit Pathak, Ratnabali Bhattacharjee.
Gênero: Horror
Ano: 2018
Duração: 45 minutos por episódio

Uma criatura meio doida que lembra a irmã do Ferris Bueller, finge que é nerd, adora filmes de terror mas tem medo de comédias românticas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *