Review | Marvel’s Spider-Man (PS4)

Se Batman: Arkham Knight foi vendido com o slogan de “seja o Batman”, uma propaganda parecida pode ser feita sobre Marvel’s Spider-Man. O novo game do Homem-Aranha exclusivo para PS4 é uma experiência muito imersiva no universo do personagem. A começar pelos balanços na cidade de Nova York, que por si só já é incrível. O trabalho feito pela Insomniac Games é excelente e a experiência de jogar é extremamente divertida.

Um jogo pode ser classificado como muito bom quando o jogador fica com vontade de realizar todas as missões secundárias, mesmo que elas não sejam extremamente necessárias para se completar a história principal. E Marvel’s Spider-Man proporciona isso a quem está jogando!

O jogo da Insomniac Games se inspira no universo das HQs mais atuais do Homem-Aranha e entrega uma experiência bem próxima a ser o personagem para o jogador. Para isso não temos apenas combate a inimigos, mas também outros elementos como ir trabalhar, lidar com o relacionamento amoroso e ajudar a família, mais precisamente a tia May. Dessa forma em alguns momentos controlamos Peter Parker e não o seu alter-ego.

A desenvolvedora foi além e ainda colocou outros 2 personagens jogáveis durante a narrativa: Mary Jane e Miles Morales (antes de ganhar poderes). A primeira é importante por incluir uma mulher na história, mas não apenas como uma donzela em perigo. A moça é uma repórter e está disposta a encarar desafios em nome de uma boa história, além é claro de apresentar a verdade e salvar a cidade. Uma forma diferente do combater o crime. A forma de jogar de ambos tem um pouco de modo stealth, onde é necessário chegar em um determinado ponto sem ser visto pelos inimigos, mas tem também um pouco de exploração e investigação.

Jogando com Peter Parker o jogador pode ir trabalhar com Dr. Otto Octavius e ajudá-lo com sua pesquisa. No entanto como Homem-Aranha também temos momentos de stealth, mas no caso dele o objetivo é derrotar os inimigos sem ser detectado pelos adversários. Contudo, a grande graça de jogar como o protagonista é estar balançando por Nova York indo em direção ao ponto da trama principal, quando um crime está ocorrendo nas ruas. Então cabe ao jogador decidir se ajuda ou não.

As missões principais são as que dão mais experiência, ou simplesmente XP, para o jogador. A cada quantidade adquirida o personagem sobe de nível e é possível desbloquear uma nova habilidade do Homem-Aranha. No entanto, para melhorar os equipamentos e conseguir novos uniformes, que destravam novos recursos, é necessário realizar as missões secundárias. Dentre elas temos além do crimes acontecendo na rua coisas como encontrar mochilas, investigar pistas da Gata Negra e realizar experiências para o amigo Harry Osborn.

Inclusive a família Osborn está no centro das atenções da história principal, já que Norman é o prefeito de Nova York e o plano dos vilões tem ele como alvo. O personagem tem seu lado ruim e a narrativa explora essa dualidade. Afinal de contas o Homem-Aranha tem como principal objetivo proteger as pessoas e a cidade, então ele não vai apoiar medidas extremas que podem prejudicar e machucar inocentes.

O jogo segue uma história linear, mas ao mesmo tempo disponibiliza um mundo aberto ao jogador que pode ser explorado durante a partida. Dessa forma ele satisfaz aqueles jogadores que esperam algo mais simples de ser acompanhado, quanto aqueles interessados em uma experiência mais “hardcore”. Em alguns momentos da narrativa o próprio game sugere uma pequena pausa na trama para que o jogador possa se divertir um pouco nas missões secundárias.

O combate do Homem-Aranha no início é um pouco confuso porque o personagem se movimenta bem rápido, então dá a impressão que basta apertar os botões de ataque aleatoriamente para derrotar o inimigo. No entanto, após morrer algumas vezes o jogador percebe que é necessário estabelecer uma estratégia de luta, senão os adversários vão sair vitoriosos. Por isso é essencial ganhar XP para obter novos movimentos.

O visual do jogo também impressiona pela riqueza de detalhes. A recriação digital de Nova York ficou muito bonita. Isso transforma a experiência de balançar pela cidade em algo ainda mais prazeroso e divertido. Existem maneiras de se transportar rapidamente entre alguns pontos da cidade, mas dificilmente o jogador vai querer utilizá-las.

As cutscenes, aquelas cenas animadas dentro do jogo que mostram a história, também apresentam um gráfico de muita qualidade e contribuem na imersão no universo do protagonista da Marvel. O visual dos personagens lembra mais suas versões das HQs atuais do que as vistas no cinema. Na versão brasileira é possível jogar com o áudio em português.

Marvel’s Spider-Man pode não trazer grandes novidades em relação a jogabilidade, no entanto é extremamente eficaz em oferecer ao jogador uma excelente experiência de imersão dentro do universo do Homem-Aranha. Vai ser difícil conseguir parar de jogar, então se prepare para “perder” muitas horas jogando sem perceber o tempo passar.


Classificação:


Marvel’s Spider-Man

Plataformas: PlayStation 4
Produtora: Sony Interactive Entertainment
Desenvolvedora: Insomniac Games
Programador:
Brian Horton, Bryan Intihar, Marcus Smith e Ryan Smith
Ano: 2018

Analista de sistemas nascido em Salvador (BA) em 1980, mas atualmente morando em Brasília (DF). Cinema é sem dúvidas o meu hobby favorito. Assisto a filmes desde pequeno influenciado principalmente por meus pais e meu avô materno. Em seguida vem a música, principalmente rock e pop.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *