Crítica | O Paciente – O Caso Tancredo Neves

O Paciente – O Caso Tancredo Neves reconstitui os últimos e decisivos dias de um dos principais articuladores da campanha pelas Diretas Já, que pedia eleições diretas para Presidência da República e o fim da ditadura militar. O político mineiro Tancredo Neves, que comandou o processo de redemocratização do Brasil e, por conta de seu perfil moderado, foi eleito presidente por um colégio eleitoral, mas nunca tomou posse.

No filme dirigido por Sérgio Rezende – cuja carreira é marcada por longas biográficos, o roteiro é baseado no livro homônimo do escritor, historiador e pesquisador Luís Mir, cuja obra reproduz prontuários dos hospitais de Brasília e de São Paulo, com declarações dos especialistas envolvidos, revelando os bastidores do caso clínico que alterou os rumos da democracia brasileira e abalou a reputação da medicina do país.

A trama com cara de minissérie de tevê e elenco estrelado por atores experientes apresenta as conturbadas relações das equipes médicas responsáveis por tratar Tancredo Neves, que há dois dias de tomar posse começou a sentir fortes dores abdominais, vindo a falecer quase que, inexplicavelmente, após quase 40 dias de internação e diversas cirurgias.

Foi exatamente essa sucessão de equívocos médicos, pouca transparência, somada ao descompasso das decisões tomadas pelo próprio paciente e por seus familiares num cenário politicamente delicado que transformaram o caso em alvo de teorias conspiratórias. Todas essas questões são levantadas de maneira inédita e oportuna pelo longa, que não por acaso chega aos cinemas há pouco menos de um mês das eleições presidenciais.

O Paciente - O Caso Tancredo Neves, foto

Com atuações impecáveis, principalmente a do ator Othon Bastos como Tancredo Neves e a de Paulo Betti como Dr. Pinotti, o filme transporta o espectador para o momento histórico alternando entre cenas de ficção e vídeos da época. A narrativa dos fatos prende a atenção do começo ao fim, que mesmo sendo sabido, ainda é capaz de provocar comoção.

É nesse ponto também que cabe pontuar os desacertos do longa. Há uma romantização excessiva da trajetória do político mineiro que acreditava ser, literalmente, o “salvador da pátria”. Além disso, incomoda também repetição do propósito do filme a todo instante, que é incutir a seguinte reflexão: afinal, Tancredo sofreu por ter recebido tratamento de presidente e não os cuidados de um paciente comum?


Uma frase: – “Tanta gente querendo salvar o presidente que vão acabar matando o paciente”

Uma cena: Tancredo Neves sendo transportado numa maca pelos corredores do pronto socorro do Hospital de Base.

Uma curiosidade: Em uma reportagem para a revista Isto É sobre as gravações do filme, em 2017, o diretor disse que o lançamento do longa em ano eleitoral era intencional “como contribuição para o debate”.


O Paciente - O Caso Tancredo Neves, cartazO Paciente – O Caso Tancredo Neves

Direção: Sérgio Rezende
Roteiro:
Gustavo Liptzein
Elenco: Othon Bastos, Esther Góes, Leonardo Medeiros, Otávio Müller, Paulo Betti, Emílio Dantas, Mário Hermeto e Lucas Drummond
Gênero: Biografia
Ano: 2018
Duração: 100 minutos

Filha dos anos 80, a Não Traumatizada, Mãe de Plantas, Rainha de Memes, Rainha dos Gifs e dos Primeiros Funks Melody, Quebradora de Correntes da Internet, Senhora dos Sete Chopes, Khaleesi das Leituras Incompletas, a Primeira de Seu Nome.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *