Clássicos | Sem Lei e Sem Alma (1957)

O tiroteio do O.K. Corral é um dos acontecimentos mais famosos do Velho Oeste e já foi retratado em diversos filmes do gênero. Sem Lei e Sem Alma é um destes. Contando com a presença de atores do calibre de Burt Lancaster e Kirk Douglas e com a direção de John Sturges, chega a ser surpreendente que o resultado final seja um tanto desanimador.

Poucos são os defeitos em termos técnicos. A fotografia é precisa, as atuações sólidas e a trilha sonora é competente. O nível aumenta quando os personagens de Wyatt Earp e Doc Holliday interagem. Mas não há muito mais do que isso. O roteiro de Sem Lei e Sem Alma é incapaz de explorar a rixa formada entre os Earp e os Clantons de uma maneira satisfatória.  As coisas caminham arrastadas e repetitivas até o clímax. Quando achamos que seremos brindados com uma sequência fulminante, acabamos por nos decepcionar. Mesmo recriando o duelo com muito mais tempo do que ele teve na realidade, John Sturges não demonstrou criatividade em termos de coreografia e desperdiçou a tensão que poderia surgir. A expectativa foi alta para pouca coisa. Não existe catarse.

Sem Lei e Sem Alma peca por não permitir uma maior aproximação nossa com a trama e por investir em romances completamente desnecessários. Não foi desta vez que o cinema abordou o tiroteio do O.K. Corral de maneira definitiva.



Sem Lei e Sem Alma, cartazSem Lei e Sem Alma (Gunfight at the O.K. Corral)

Direção: John Sturges
Roteiro: Leon Uris
Elenco: Burt Lancaster, Kirk Douglas, Rhonda Fleming
Gênero: Western
Ano: 1957
Duração: 122 minutos
Info: IMDb

Fã de sci-fi que gosta de expor suas opiniões por aí! Oinc!

2 thoughts on “Clássicos | Sem Lei e Sem Alma (1957)”

  1. Esse texto é a minha última contribuição para a POCILGA.

    Para evitar desentendimentos futuros, acredito que chegou a hora de abandonar o barco (ou o chiqueiro).

    Foi bacana fazer parte dessa equipe nesses quase 3 anos. Agradeço principalmente a Marcio Melo, Ramon e JZ.

    Espero que continuem crescendo.

    Abraços!

    1. Porra man, obrigado você pela contribuição com a POCILGA. Afinal de contas você ainda é o autor com mais textos do site. Respeito a sua decisão, apesar de não concordar, mas já vi que você está seguindo com o seu blog. Qualquer coisa estamos aí, valeu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *