Crítica | Duma (2005)

Se pensarmos de maneira lógica, quase tudo o que acontece em Duma dificilmente seria visto no mundo real. O detalhe é que o filme é baseado em uma história real. Então tá. Um garotinho adota um guepardo que se perdeu da família. Quando o guepardo já está grande, o garoto decide levar ele mesmo o seu quase animal de estimação para o habitat natural. Ligar para as autoridades competentes? Falar com a mãe? Nada. Xan pega uma moto, um pouco de água e o guepardo e se manda para uma aventura cheia de perigos. Ainda bem que o cinema permite a suspensão da descrença, principalmente quando uma experiência competente nos é oferecida. Duma tem muito de história de amadurecimento, mas o mais marcante para mim é a relação do garoto e do guepardo. É uma especialidade do diretor Carroll Ballard, diga-se de passagem. Com belos cenários naturais da África do Sul, a fotografia também se torna um dos destaques. Convenhamos que há poucas surpresas aqui, mas existem belos momentos e mensagens relevantes a serem transmitidas.



Duma, cartazDuma

Direção: Carroll Ballard
Roteiro: Karen Janszen, Mark St. Germain
Elenco: Alex Michaeletos, Campbell Scott, Hope Davis, Eamon Walker
Gênero: Aventura, Drama
Ano: 2005
Duração: 100 minutos
Info: IMDb

Fã de sci-fi que gosta de expor suas opiniões por aí! Oinc!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *