“Ignore” Gambino e entenda This is America

Donald Glover (Childish Gambino) está se tornando um dos artistas mais influentes dessa década e isso não deve ser questionado. This is America é uma declaração brutal e ao mesmo tempo divertida sobre a sociedade americana que busca se esconder através do entretenimento, além de ser um dedo na ferida na cultura negra do Hip Hop.

Do que se trata This is America?

De repente você presencia Gambino sacando uma arma e atirando contra a cabeça de um homem negro, pelas costas, enquanto faz uma Jim Crow’s Pose“. O expectador, a partir daí, se vê obrigado a escolher entre assisti-lo dançando com jovens colegiais ou acompanhar tudo o que está acontecendo no background.
Na boa? É uma peça digna!

Após essa introdução já dá pra ter ideia do que se trata This is America. A peça vem expor alguns problemas discutidos em exaustão pela comunidade negra: A inércia da mídia diante da violência que tem como principais vítimas a juventude negra, a corrupção e brutalidade da polícia, além de chamar a atenção para a questão da violência pelo uso de armas de fogo.

O diretor, Hiro Murai (Atlanta), na prática, te obriga a estar focado nos jovens que estão dançando enquanto todo o caos está acontecendo. Por mais que soe repetitivo, é necessário perceber que entre uma transição e outra acontecem muitas coisas que provavelmente não serão notadas nas primeiras visualizações.

Childish Gambino ou Donald Glover, compôs uma música agressiva nas batidas, trazendo um sentido de selvageria, mas ao mesmo tempo dançante. A letra também aborda os temas voltados aos problemas sociais enfrentados pelos negros, mas sem deixar de abraçar a cultura afro americana.

Escravidão Moderna

O Hip Hop hoje é o expoente de maior sucesso musical enquanto gênero comercial, mas ao mesmo tempo enaltece homens negros que se fingem ou são ignorantes, que andam armados e se importam com coisas triviais como a marca da roupa, quantas mulheres os desejam ou como o crime tornou um homem negro sem instrução em alguém para ser admirado. Ou seja, uma das ferramentas de valorização do negro se tornou uma máquina de estereótipos que ajuda a esconder problemas muito maiores.

A sociedade não tem dado nada em troca para a comunidade negra, pelo contrário, os problemas estão sendo minimizados em troca de exposição camuflada por uma representatividade, que não abraça os reais necessitados, e trazem uma sensação de que tudo está melhorando aos poucos.

No início, enquanto um homem é friamente assassinado, o cadáver é retirado e a arma do crime é isolada. Não há comoção, ao contrário da cena em que um coral é exterminado (provavelmente uma referência a Charleston) e uma revolta acontece em seguida. A verdade é que as principais mídias não se importam com as mortes isoladas e dão muito mais atenção aos casos maiores que geram maior comoção.

Enfim, a sociedade dá muito mais valor ao artista negro do que ao homem como sujeito comum dentro do sistema. O que posso afirmar é que existe uma espécie de dualismo, já que Donald Glover se tornou um dos negros mais famosos do ocidente e vem quebrando recordes como artista, mas ao mesmo tempo ele sabe que isso não o torna uma exceção e que ainda é um homem negro: Odiado, perseguido e descartável.



 

Uma alma com boas intenções que está metendo dança. Dizem.

3 thoughts on ““Ignore” Gambino e entenda This is America”

  1. Não tenho capacidade intelectual para tantas interpretações em um unico clipe, mas dá pra ver já na primeira vez que trata-se de uma produção com várias camadas e várias discussões. A mais emblemática é quando ele mostra que Killmonger estava certo

    1. Cara, tem muita coisa mesmo e numa certa fração de segundos tem até suicídio. Ramon me marcou num link com referências, to dando graças a Deus por não ter feito um texto explicando o que é cada uma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *