Clássicos | A Batalha de Argel (1966)

Grandioso exemplar do cinema político, A Batalha de Argel é uma experiência brutal e ainda extremamente relevante. A trama se passa no final dos anos 1950, quando o povo argelino decidiu que estava na hora do país se livrar do domínio francês. A conquista da independência obviamente não foi fácil. A Frente de Libertação Nacional estava do lado certo, mas para alcançar seus objetivos teve que cometer assassinatos e atentados com bomba, inclusive matando crianças e inocentes. Por outro lado, os franceses não hesitaram em praticar tortura e até guilhotinar revolucionários.  A Batalha de Argel tem precisão histórica e foi filmado em um estilo quase documental. É fascinante e perturbador ao mesmo tempo. Duas sequências são excepcionais e elevam o filme ao posto de obra-prima: as cenas dos atentados praticados por três mulheres e o final em que vemos o povo nas ruas batendo de frente com o exército. Me senti transportado para aquela época graças ao talento do diretor Gillo Pontecorvo. Uma aula de História vibrante e inesquecível.



A Batalha de Argel (La battaglia di Algeri)

Direção: Gillo Pontecorvo
Roteiro: 
Gillo Pontecorvo e Franco Solinas
Elenco: Jean Martin, Saadi Yacef, Brahim Haggiag e Tommaso Neri
Gênero: Drama, Guerra
Ano: 1966
Duração: 120 minutos

Fã de sci-fi que gosta de expor suas opiniões por aí! Oinc!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *