Crítica | Baseado em Fatos Reais (D’après une histoire vraie)

Encarar uma página em branco de um editor de textos no computador é o pesadelo de qualquer escritor sem inspiração. Baseado em Fatos Reais, novo filme do diretor Roman Polanski, apresenta uma protagonista, interpretada por Emmanuelle Seigner, que passa por essa situação.

O roteiro, escrito por Olivier Assayas e pelo próprio Roman Polanski, faz algumas reflexões interessantes em relação a profissão de escritor. O quanto um autor pode usar da sua própria vida em suas obras? É possível escrever algo que não seja de alguma forma inspirado em algum acontecimento real? E o quanto da sua bibliografia pode dizer sobre quem o autor realmente é? Esses são apenas alguns dos questionamentos que surgem durante a história.

O filme começa com o lançamento do novo livro de Delphine (Emmanuelle Seigner). No entanto, a escritora parece um pouco desconfortável em ficar sentada autografando livros para os fãs. Sua obra é inspirada em eventos ocorridos em sua própria vida, então as pessoas comentam o quanto se identificam com a história. No entanto, isso não faz com que a moça demonstre empatia com elas. Até que surge uma mulher misteriosa que se apresenta como uma grande admiradora.

A história gira em torno da construção da relação entre Delphine e Elle (Eva Green), a fã misteriosa. A protagonista está lidando com a repercussão relacionada a seu último livro. A mulher recebe cartas anônimas de parentes dizendo estarem magoados com os fatos narrados, deixando-a angustiada e com sinais de depressão. Uma forma de lidar com isso é seguir em frente e pensar no seu próximo trabalho. No entanto surge outro problema: a falta de inspiração. Mas, a nova amizade com Elle surge como uma forma de lidar com essas dificuldades.

O desenvolvimento dessa relação é cheia de mistérios e suspense. Qual seria a verdadeira intenção de Elle? Ela é apenas uma fã que se torna uma amiga ou existe um algo a mais? A forma como Polanski constrói a narrativa é muito interessante por explorar bem a relação entre as personagens.

Inicialmente, Elle se apresenta como uma mulher bonita, inteligente e sedutora. Além disso, é extremamente intuitiva e parece sempre entender Delphine melhor do que ninguém. Dessa forma Delphine se envolve emocionalmente de forma lenta, deixando a moça entrar na sua vida. Mas em alguns momentos ela se questiona se não está perdendo o controle da própria vida. Será que essa amizade é uma coisa saudável? Ou é a resposta para os problemas da sua falta de inspiração?

O trabalho das atrizes é muito bom e é o grande destaque do filme. A química entre elas é incrível e a forma como elas constroem a relação entre as personagens é fascinante. Os detalhes da atuação de cada uma é interessante em como elas acrescentam novas camadas à suas respectivas personagens, sempre mantendo o mistério por trás de suas verdadeiras intenções.

A trilha sonora de Alexandre Desplat também é fundamental na construção desse clima misterioso. Suas músicas ajudam bastante no desenvolvimento do tom da narrativa, influenciando positivamente na imersão do suspense da história.

Essa não é a primeira vez que Polanski conta uma história sobre o mundo dos escritores. Em “O Escritor Fantasma” ele já tinha explorado o mistério por trás desse universo. Então por mais que Baseado em Fatos Reais não apresente uma novidade em sua filmografia, o filme apresenta uma trama interessante, que entretém o espectador com qualidade, além de apresentar reflexões interessantes sobre o tema. As atuações de Eva Green e Emmanuelle Seigner são o grande destaque do longa e o seu principal diferencial.


Uma frase: – Elle: “Faz tempo que você não escreve?”

Uma cena: O jantar do aniversário de Elle.

Uma curiosidade: O filme marca o retorno da atriz francesa Eva Green ao cinema francês, após fazer exclusivamente filmes e televisão em inglês nos últimos 13 anos.

 


Baseado em Fatos Reais (D’après une histoire vraie)

Direção: Roman Polanski
Roteiro:
Olivier Assayas e Roman Polanski
Elenco: Eva Green, Emmanuelle Seigner, Camille Chamoux, Vincent Perez, Dominique Pinon e Alexia Séféroglou
Gênero: Comédia, Drama, Mistério
Ano: 2017
Duração: 110 minutos

Analista de sistemas nascido em Salvador (BA) em 1980, mas atualmente morando em Brasília (DF). Cinema é sem dúvidas o meu hobby favorito. Assisto a filmes desde pequeno influenciado principalmente por meus pais e meu avô materno. Em seguida vem a música, principalmente rock e pop.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *