Crítica | Ella e John (The Leisure Seeker)

Já dizia o escritor colombiano Gabriel García Márquez: “O segredo de uma velhice agradável consiste apenas na assinatura de um honroso pacto com a solidão”. É o que prova o diretor Paolo Virzì com o filme Ella e John, estrelado por Helen Mirren e Donald Sutherland, um simpático casal de aposentados que decide fazer uma última viagem de férias juntos, a bordo de um motorhome antigo da família apelidado de “the leisure seeker” — título original do longa.

A última jornada dos dois amantes parte de Boston para The Ernest Hemingway Home em Key West. Ella tem câncer terminal e John padece de uma enfermidade com sintomas característicos de Alzheimer. Durante a viagem, o casal busca desafiar os obstáculos impostos pela idade, a fim de reviver a paixão e as lembranças mais felizes de suas vidas, enquanto os filhos — Jane e Will Spencer, interpretados por Janel Moloney e Cristian Mckay — tentam localizá-los e fazê-los retornarem para casa.

Nesta comédia dramática, o humor parece errado, fora do lugar. Rimos de situações embaraçosas e corriqueiras para os idosos, mas que são colocadas para o espectador de forma sutil, leve e até mesmo despretenciosa. Os momentos de emoção, no entanto, são carregados de simbolismos, o que facilita a identificação e a empatia por parte do público. Afinal, o envelhecimento faz parte da vida, mas por ser o último estágio, muitas vezes é uma etapa traumática, dolorosa e solitária para os seres humanos.

O principal trunfo de Ella e John é a coragem com a qual decidem, juntos, enfrentarem o passado, o presente e o futuro de suas vidas. Em poucos dias, um turbilhão de sentimentos e experiências novas e velhas colocam à prova o relacionamento e o amor de toda uma vida. As recorrentes cenas de humor ajudam a suavizar e a equilibrar as tensões geradas. Apesar disso, é praticamente impossível não deixar o cinema refletindo sobre as questões postas pelo desenvolvimento dos personagens.

Trilha sonora e fotografia complementam o aura nostálgica que paira sobre a mente do casal. John, um professor de literatura aposentado, é capaz de citar trechos de livros e ao mesmo tempo esquecer o nome da própria filha. Ella esconde os cabelos brancos de debaixo de uma peruca enquanto tentar reconhecer o que sobrou de si mesma nas fotos antigas da família. Detalhes sutis que ganham ainda mais valor e impacto com a excelente interpretação dos atores.


Ella e John chegam a fim de sua jornada e nós involuntariamente mergulhamos dentro de nossas existências para refletirmos sobre o amor, a cumplicidade, a tolerância, os laços familiares e o inevitável desfecho da morte. Vale a pena se entregar à sensibilidade desse filme, que cumpre com louvor o mister de abordar tabus da terceira idade, sem medo, e com bastante veracidade.


Uma frase: – “Isso é apenas algo que eu realmente preciso fazer com seu pai”, diz Ella Spencer ao filho Will Spencer ao justificar a viagem.

Uma cena: Quando John ajuda Ella a fugir do hospital.

Uma curiosidade: O filme é baseado no romance de mesmo nome de 2009, de Michael Zadoorian.


Ella e John (The Leisure Seeker)

Direção: Paolo Virzì
Roteiro:
Paolo Virzì, Francesca Archibugi, Francesco Piccolo e Stephen Amidon
Elenco: Donald Sutherland, Helen Mirren, Christian McKay, Janel Moloney, Dana Ivey e Dick Gregory
Gênero: Comédia, Aventura, Drama
Ano: 2017
Duração: 112 minutos

Filha dos anos 80, a Não Traumatizada, Mãe de Plantas, Rainha de Memes, Rainha dos Gifs e dos Primeiros Funks Melody, Quebradora de Correntes da Internet, Senhora dos Sete Chopes, Khaleesi das Leituras Incompletas, a Primeira de Seu Nome.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *