Review | The Walking Dead – 8×01: Mercy

Há um ano a sétima temporada de The Walking Dead estreava de maneira brutal. Todos lembram o que aconteceu e todos lembram de como se sentiram enquanto Negan mostrava a que veio. Aquele episódio elevou nossas expectativas aos céus e, infelizmente, a cada semana fomos nos decepcionando mais e mais. Muitos até desistiram do seriado, algo que também cogitei fazer.

Mas me mantive firme. Devo ser masoquista.

Ou será que sou ingênuo ao acreditar que The Walking Dead possa se recuperar um dia?

Talvez.

O fato é que fui assistir ao primeiro episódio da oitava temporada sem esperar muita coisa e depois de 45 minutos não me surpreendi: The Walking Dead recomeçou de um jeito pouco promissor.

Partimos do ponto em que paramos no Season Finale anterior. A guerra entre Rick e Negan continua. Na verdade, como apontou Rick, isso tudo é maior do que ele. Trata-se da guerra para tornar o mundo um lugar melhor. Mas será que esse mundo ainda pode ser consertado?

Muitos reclamaram que The Walking Dead exagerava nos episódios em que aparentemente nada acontecia. Aí resolveram fazer um episódio focado na ação. Receita para o sucesso, certo? Errado. Muito errado.

As cenas de ação de Mercy foram absolutamente falhas. Em nenhum momento houve qualquer tipo de emoção. Ninguém parecia realmente em perigo. A temporada está começando agora, era óbvio que ninguém importante iria morrer. Quando sabemos que nada de relevante irá acontecer, não dá para se animar com tiros e explosões. Foi tudo meio artificial. Deu tempo até para Rick tirar uma máquina fotográfica sabe-se lá de onde e registrar o belo momento.

Para piorar, a montagem errou feio ao intercalar as cenas do conflito, do discurso de Rick, dele com Carl, do Rick com lágrimas e do Rick mais velho. Essa dispersão tirou qualquer chance de que um tom de urgência fosse criado. E ainda foi confuso.

Outra coisa que irrita muito em The Walking Dead é a insistência dos roteiristas em nos considerarem estúpidos. Caramba, o grupo conseguiu eliminar com facilidade vários Salvadores em postos avançados. Sempre com um tiro certeiro. Mas aí quando estão na frente de um Negan desprotegido todo mundo vira míope.

E olha, também já não estou mais suportando os monólogos de Negan. Estou é com saudades do governador.

Mercy pode não ter sido cansativo, mas não basta ter ação para ser bom. The Walking Dead se destacou antigamente por equilibrar momentos intimistas e sequências de ação bem elaboradas, cheias de tensão. Aqui não teve nada disso.

Se isso que vimos ontem for um termômetro para o resto da temporada uma coisa é certa: vamos perder uma hora do nosso domingo à noite por algumas semanas.

Mas… sou um otimista. Um ingênuo. E escolho acreditar. Mais um pouco. Só um pouco.

Até quando?

Nota: 6/10

Fã de sci-fi que gosta de expor suas opiniões por aí! Oinc!

4 thoughts on “Review | The Walking Dead – 8×01: Mercy

  1. Sua análise, ao contrário da mira deles diante de Negan, foi certeira. Concordo com tudo que disse, só vou discordar da nota final. Para mim seria um 5 de 10 porque eu já estou cansado dessa postergação e enrolação.

    Não tinha motivo algum para Negan não morrer nesse episódio se esse é o objetivo principal e realmente a montagem eu não entendi o que eles queriam com aquilo.

    Por fim, aquelas cenas de Rick “no futuro/sonhando” não despertaram nada. Um nada.

    1. Valeu Marcio.

      Pior que lendo o texto, a nota 5 seria mais apropriada mesmo.

      Foi um episódio muito fraco. Acho bizarro gente fingindo empolgação no twitter… principalmente alguns sites de entretenimento por aí. Será que recebem uma graninha para falar bem?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *