Review | The Walking Dead – 7×11: Hostiles and Calamities

Alheio a maior premiação do cinema, The Walking Dead lançou ontem o seu 11º episódio de sua 7º Temporada em que um forasteiro conhece as dependências e serviços do Santuário de Negan. Se render as benesses mesmo que tenha que ir contra ideias aos quais ‘seguia’ parece a saída mais ‘sensata’ para os covardes. Mas será que é só isso mesmo?

Aviso de SPOILERS

Os comentários a seguir falam sobre acontecimentos encontrados em  Hostiles and Calamities, o décimo primeiro episódio da sétima temporada de The Walking Dead.

Eugene sobreviveu até agora utilizando a sua inteligência, mesmo que nem sempre tenha sido honesto com o que disse. Sua chegada ao Santuário veio acompanhado de mais alguns momentos em que seu ‘traquejo’ social e modo de se relacionar com os outros trouxe um pouco diversão a mais um episódio que parece apenas estar adiando o momento que todos esperam por vir.

Enquanto conhecíamos mais um pouco do sistema ‘político-social’ do Santuário, duas sagas seguiam em paralelo para se encontrarem na cena final. De um lado Eugene se mostrava bastante útil a todos aqueles que sabiam como conseguir o “melhor” do “Doutor”. Do outro lado Dwight buscou uma solução (final?) para a sua questão matrimonial agindo como um sobrevivente. Talvez não tão digno quanto alguns de nós esperam, mas afinal não foi altruísmo que o colocou onde está até aqui.

É difícil comentar sobre o andamento desta sétima temporada sem soar repetitivo, mas é fato que a maior culpa de tudo o que vem acontecendo é do espetacular vilão que foi criado para esta temporada. Mesmo que suas aparições já não sejam mais tão impactantes como nas primeiras vezes, é fato que nem mesmo zumbis platinados com metal fundido em suas peles ou plot twists em premiações foram tão bons e ruins ao mesmo tempo para o seriado.

Negan

A conversa final entre Dwight e Eugene deixou claro quem eles são. Sim, sem sombra de dúvidas são Negan. Mas existe uma estratégia que começa a ser traçada agora do lado de dentro do Santuário. É uma pena que The Walking Dead, infelizmente, tenha que parar toda uma série para aguardar o “momento certo” de todo esse ‘desfecho’ que, pelo que se sabe, não virá tão cedo.

Queria ser astronauta mas tudo o que consegui na vida foi cair de um carro em movimento, fissurar meu crânio andando de skate e zerar Alex Kid in The Miracle World no Master System. Nas horas vagas vejo filmes que ninguém conhece, mato monstros que não existem e torço por um time que nunca vence.

2 thoughts on “Review | The Walking Dead – 7×11: Hostiles and Calamities

  1. é, finalmente tivemos um bom episódio, mas nada empolgante.

    quanto ao último parágrafo, você não acha que os dois vão ser dois cavalos de troia e colaborar para a derrocada de Negan? Eugene pode ser o herói que já tentou ser antes e Dwight pode ter uma redenção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *