Crítica | A Criada (Ah-ga-ssi)

Novo trabalho do cultuado diretor Chan-wook Park, que apareceu para o mundo com o arrebatador Oldboy, A Criada é um filme meticulosamente construído. O que mais chama a atenção aqui talvez seja a maneira que o roteiro foi escrito. Dividida em três partes, a trama apresenta diferentes perspectivas para a mesma situação, reservando um bom número de reviravoltas. Falar sobre o enredo pode estragar algumas surpresas, portanto basta dizer que A Criada é um romance intenso que se passa na Coreia dos anos 1930 ocupada pelo Japão e que envolve um plano em busca do poder. Lindamente filmado, recheado de erotismo e suspense, A Criada é um deleite para os olhos. Em alguns momentos pode ser perturbador para quem não está acostumado com o lado estranho do cinema coreano, mas suas qualidades são evidentes. Infelizmente, algumas partes são bem superiores a outras e o ritmo fica um pouco arrastado mais para o final. Nada que atrapalhe a experiência como um todo. Há quem já considere A Criada como o auge de Chan-wook Park, algo de que discordo. Para esse cinéfilo, Oldboy segue como a obra-prima do diretor.



A Criada (Ah-ga-ssi)

Direção: Chan-wook Park
Roteiro: Seo-kyeong Jeong
Elenco: Min-hee Kim, Jung-woo Ha, Jin-woong Jo, Tae-ri Kim
Gênero: Thriller, Drama, Romance
Ano: 2016
Duração: 144 minutos
Info: IMDb

One thought on “Crítica | A Criada (Ah-ga-ssi)”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *