Review | The Walking Dead – 7×03 – The Cell

Para os que ainda não aprenderam a fórmula da série, “The Cell” é apenas mais uma aula de repetição feita a fim de doutrinar o espectador que ainda tem esperanças em assistir uma sequência de episódios de tirar o fôlego ininterruptamente. Para estes, será preciso tocar a música novamente…

Aviso de SPOILERS

Os comentários a seguir falam sobre acontecimentos encontrados em The Cell, o terceiro episódio da sétima temporada de The Walking Dead.

#TWD (S07E03) – The Cell

Somos apresentados a um grupo completamente novo de sobreviventes que vivem em uma comunidade que parece ter de tudo… por um preço que talvez seja alto demais.

The Cell é facilmente traduzida no contexto deste episódio para “A Cela”, mas outro significado que não o biológico para sua tradução pode ser túmulo, e isso vai bem de encontro ao que foi apresentado aqui. Seja quando Dwight vai buscar o seu antigo ‘colega’ fugido, seja quando ele conversa com sua (ex) esposa no corredor (talvez o único grande momento deste episódio) ou até mesmo quando ele confronta Daryl já nos momentos finais: Se existe um preço para se sobreviver, trabalhar, ou melhor, se ajoelhar e ser o Negan é, talvez, um preço alto demais a se pagar.

Para quem achou que iria se encontrar novamente com o grupo em Alexandria ou quiçá descobrir o que Ezekiel iria conversar com Carol, uma musiquinha insuportável – de algum programa americano o qual não irei pesquisar (e, ainda bem, não sei qual é) – é tocada repetidamente para Daryl afim de adestrá-lo (palavra mais que perfeita para quem come sanduba com carne para dogs) para servir Negan. Dwight e a que foi um dia sua esposa tentam fazer ele entender, mas Daryl é mesmo duro na queda.

Não vá que é barril.
Não vá que é barril.

Será possível ser feliz num sistema tão vil como o que Negan implementa? Porque tanta gente teme e obedece um único homem se juntos eles poderiam facilmente destroná-lo? Bom, não vamos falar de política nesse texto, mas este é um questionamento interessante que foi passado. Seria burrice ceder aos desejos de Negan para ter uma vida fantasiosamente digna ou é melhor lutar até o fim e provavelmente morrer com honra e ser fixado num belo espeto à luz do sol para morto-viver até a eternidade?

– Mas não é possível que Walking Dead seja só isso, 2 ou 3 episódios bons para toda uma temporada de enrolação e episódios mornos como este. 
– Você não aprendeu ainda? É tão simples de entender. Toca a música novamente!

Por mais que tenha sido apenas mais um daqueles episódios que nos fazem questionar o porquê de continuarmos assistindo este seriado e também até mesmo a nossa existência, a questão principal que ficou em The Cell é a que se segue abaixo:

Será que existem coisas piores que a morte?
R: Sim, assistir este 3º episódio da 7º temporada de The Walking Dead.

2 thoughts on “Review | The Walking Dead – 7×03 – The Cell”

  1. permita-me discordar, meu caro.

    considerei este um bom e importante episódio. sabemos como as coisas são em Walking Dead – com os episódios fillers que não adicionam muito-, mas este The Cell mostra como as coisas funcionam realmente no grupo de Negan, além de nos fazer criar empatia com o trágico personagem que é o Dwight.

    e o Daryl? eu achava que ele não iria mais aguentar manter a pose, mas o cara é osso duro de roer. de qualquer forma, o futuro dele como prisioneiro do Negan é um tanto imprevisível.

    apesar do primeiro episódio brutal, essa temporada está menos intensa que a anterior. a abordagem está diferente. aparentemente teremos três núcleos ou até quatro, se a Tara aparecer. isso faz com que as coisas fiquem mais lentas, geralmente. é só lembrarmos da irregular quinta temporada.

    espero que no próximo episódio o foco seja o Rick e o grupo juntando os cacos.

    enfim, nota 3.5/5

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *