Sci-Fi | A Mosca (1986)

Remake de A Mosca da Cabeça Branca de 1958, A Mosca de David Cronenberg completou 30 anos do seu lançamento no dia 15 de agosto. Apesar da passagem do tempo, é fácil constatar que o filme ainda está acima da média quando o assunto é ficção científica.

Com um roteiro brilhantemente estruturado e atores competentes, A Mosca consegue ser uma mistura eficiente de vários gêneros. Temos aqui sci-fi, horror, suspense, humor e romance. Tudo muito bem equilibrado.

Seth Brundle é um cientista que acaba de criar algo revolucionário: o teletransporte. Algo que, se bem desenvolvido, seria capaz de mudar a vida de todos. Após algumas correções, o invento parecia ser seguro o suficiente para transportar seres vivos.  Munido da coragem vinda do álcool e da raiva cega dos ciumes, Brundle decide testar ele mesmo o teletransporte. Uma inocente mosca entra com ele no telepod e o resultado é uma fusão de suas informações genéticas. O cientista que queria mudar o mundo vai passar por um desastroso processo de mutação.

As transformações começam sutis, como um aumento nas aptidões físicas, na preferência pelo açúcar, até que mudanças drásticas começam a acontecer. Drásticas e viscerais.

David Cronenberg tem um estilo peculiar. Esteja preparado para cenas gráficas. Algumas situações ainda conseguem causar certa aflição ou nojo, mas confesso que me peguei rindo em certas cenas, graças ao absurdo de tudo.

Apesar do espírito de filme B, o filme se eleva a outro nível. Criamos uma forte empatia com Seth e com a jornalista Veronica Quaife e acreditamos no relacionamento dos dois, portanto, ver Seth passando por essa transformação é doloroso. A carga dramática de A Mosca é inesperadamente forte.

Esta é uma sci-fi ousada, inteligente e tecnicamente brilhante. Pode ter seus exageros aqui e ali, mas nada problemático. A maquiagem divertidamente grotesca e repulsiva foi premiada com o Oscar.

Não é todo dia que podemos ver uma sci-fi com tantas qualidades. No final das contas, A Mosca é uma história trágica, uma história de um homem que foi destruído pelo o seu desejo de fazer a diferença no mundo. Não importa quantas vezes eu assista ao filme, a cena final sempre acaba me emocionando, por mais bizarra que ela pareça.

É um sinal de que tudo funciona melhor do que o esperado, não é?


Uma frase: Tenha medo. Tenha muito medo.

Uma cena: A orelha de Seth Brundle caindo.

Uma curiosidade: A princpio, A Mosca seria dirigido por Tim Burton,

.



the_fly___poster_remake_by_stevenandrew-d5hfzfhA Mosca (The Fly)

Direção: David Cronenberg
Roteiro: Charles Edward Pogue
Elenco: Jeff Goldblum, Geena Davis
Gênero:Sci-Fi
Ano: 1986
Duração: 96 minutos
Site: IMDb

Fã de sci-fi que gosta de expor suas opiniões por aí! Oinc!

2 thoughts on “Sci-Fi | A Mosca (1986)

  1. Belo texto Knott!

    Quando vi este filme pela primeira vez era bem novinho e senti toda essa repulsa e até um pouco de “medo” dessa história. Mais a frente eu pude perceber a tragédia que ela é e que beleza de Sci-Fi não é mesmo?

    30 anos! Estamos ficando velhos hehehe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *