Clássicos | O Conformista (1970)

Usando como base o livro de Alberto Moravia, O Conformista tornou-se um dos grandes trunfos da carreira do diretor Bernardo Bertolucci. Indicado ao Oscar de melhor roteiro adaptado em 1972, o filme chama a atenção devido a vários aspectos.

Não há como pensar em O Conformista sem lembrar da espetacular fotografia de Vittorio Storaro, que trabalha com as cores com muita propriedade e ajuda na concepção de um visual praticamente expressionista. Mas me arrisco a dizer que a grande virtude do filme é a maneira que a história é contada. Investindo em uma narrativa não linear e em flashbacks, Bertolucci nos apresenta a Marcello Clerici, um homem sem convicções que deseja ser igual aos outros. Como O Conformista se passa na Itália dos anos 1930, ser normal é ser fascista e é exatamente isso que Marcello almeja. Para se firmar no partido deverá realizar uma missão: assassinar um antigo professor que abomina a ideologia fascista.

Cenas do passado de Marcello tentam explicar as atitudes que ele toma no presente. Há quem ache absurdo o toque de psicanalise do filme, mas não dá para negar que trata-se de uma ideia corajosa e inteligente do diretor.

Devo ressaltar que quando assisti a O Conformista pela primeira vez não gostei muito da experiência. Cinco anos depois as coisas mudaram bastante. Não o considero uma obra-prima, mas enalteço suas qualidades técnicas, sua temática espinhosa e sua importância para a História do cinema.


Uma frase: Dez anos atrás meu pai estava em Munique. De vez em quando, depois do teatro, ele ia com alguns amigos para uma cervejaria. Havia um homem meio louco que eles consideravam um tolo. Ele falava de política. Era uma verdadeira atração. Eles lhe compravam cerveja e o encorajavam. Ele subia na mesa e fazia discursos furiosos. Ele era Hitler.

Uma cena: Marcello Clerici visitando o pai no hospício. 

Uma curiosidade: Bernardo Bertolucci tentou Brigitte Bardot para o papel de Anna Quadri antes de selecionar Dominique Sanda. 


O Conformista (Il Conformista)o-conformista-cartaz

Direção: Bernardo Bertolucci
Roteiro: Bernardo Bertolucci
Elenco: Jean-Louis Trintignant, Stefania Sandrelli, Gastone Moschin
Ano: 1970
Duração: 111 minutos

 

Fã de sci-fi que gosta de expor suas opiniões por aí! Oinc!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *