Review | Agents of S.H.I.E.L.D. – Season Finale da 3ª temporada

Chegamos a Season Finale da 3ª temporada de Agents of S.H.I.E.L.D. com uma espécie de episódio duplo, já que os dois foram exibidos no mesmo dia. Então achei melhor comentar logo sobre os dois juntos que são: “Absolution” e “Ascension“. Tivemos uma conclusão eficiente que fechou todos os arcos que criou de maneira satisfatória. Sem dúvidas o grande personagem do programa é Daisy que já deixou o agente Coulson em segundo plano.

Aviso de SPOILERS

Os comentários a seguir falam sobre acontecimentos encontrados em Absolution e Ascension, respectivamente o vigésimo primeiro e vigésimo segundo episódios da terceira temporada de Agents of S.H.I.E.L.D.

Em “Absolution” a S.H.I.E.L.D. monta um plano para impedir que ‘Neo’ Ward (ou Hive, ou Colméia, o nome que você acharem melhor) lance o foguete com a intenção de transformar pessoas em inumanos. Enquanto isso Daisy continua presa em observação após ter sido libertada do domínio do vilão. É usada uma máquina de memórias para deixar Ward “doidão” e atordoado. O negócio funciona e ele é capturado. Tudo parece resolvido já que ele era a grande ameaça desse final de temporada. Mas como ainda tinha mais um episódio, então tinha que rolar alguma “burrice”.

A tal “burrice” foi trazer Ward para a base da S.H.I.E.L.D., que no final das contas era o objetivo dele. Um pacote entregue no local libera o gás e transforma alguns agentes em inumanos primitivos. Tudo que o vilão queria era destruir a base e usar o jato deles para realizar o seu plano. Então Giyera e James trazem a ogiva pro lugar. Já estamos em “Ascension” e o melhor momento é a luta entre Daisy e Ward. A moça está sofrendo por falta da “droga” e pede para que ele a leve de volta. Mas ele ao perceber que não tem mais como influenciá-la diz que não tem como. Ela não gosta e parte para briga.

maosS03-finale-foto1

Uma coisa que incomodou principalmente no último episódio foi o excesso de drama. Não chegou a estragar, mas chegou próximo. A tentativa de apostar demais na emoção acaba virando algo não tão genuíno. Teve também a brincadeira com o crucifixo já que na visão de Daisy a pessoa que morria estava com um na mão. Quem será que vai morrer? Isso funcionou em parte, mas soou um pouco forçado também. Já a piada de Coulson fazendo referência a Star Wars foi genial!

Quem acabou sendo o grande herói e mártir foi Lincoln que conseguiu prender Ward dentro do jato e os dois explodiram juntos, para a tristeza de Daisy. Afinal de contas ela teve uma relação amorosa com ambos e parecia que nenhum dos dois conseguiu fazê-la feliz. Mas o inumano conseguiu achar o seu propósito. Qual seria o de Daisy então?

Pulamos 6 meses e vemos que agora Daisy está sendo procurada pela S.H.I.E.L.D. e que Coulson não é mais o diretor, mas está liderando a equipe que está atrás dela. Um gancho interessante para a próxima temporada. Será que vão explorar o que aconteceu nesses 6 meses? Ou já vão partir para a perseguição a Daisy? E o que terá acontecido com ela nesse tempo? São alguns questionamentos que devem ser explorados. E quanto a AIDA, o clone com inteligência artificial criado por Radcliffe? Teremos uma nova personagem feminina na série?

maosS03-finale-foto2

Agora o principal questionamento é o papel do seriado dentro do universo da Marvel. Nessa temporada o programa ganhou um pouco mais de independência, mas ainda fica um pouco preso aos acontecimentos dos filmes. Vamos ver o que vão fazer em relação a isso e por qual caminho vão seguir.


Série: Agents of S.H.I.E.L.D.
Temporada:
Episódio: 21
Título: Absolution
Roteiro: Chris Dingess & Drew Z. Greenberg
Direção: Billy Gierhart
Episódio: 22
Título: Ascension
Roteiro: Jed Whedon
Direção: Kevin Tancharoen
Elenco: Clark Gregg, Ming-Na Wen, Brett Dalton, Chloe Bennet, Iain De Caestecker, Elizabeth Henstridge, Henry Simmons e Luke Mitchell
Exibição original: 17 de Maio de 2016 – ABC

Analista de sistemas nascido em Salvador (BA) em 1980, mas atualmente morando em Brasília (DF). Cinema é sem dúvidas o meu hobby favorito. Assisto a filmes desde pequeno influenciado principalmente por meus pais e meu avô materno. Em seguida vem a música, principalmente rock e pop.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *