Better Call Saul – 2ª Temporada

Quando surgiu no seriado Breaking Bad o personagem do advogado Saul já roubava a cena sempre que aparecia. Então a ideia de fazer um programa só dele é realmente muito boa e interessante. Após a 2ª temporada já é possível até dizer que Better Call Saul é em alguns pontos até melhor que o seu programa de origem. A jornada dos personagens é um pouco parecida, mas a diferença é na forma que somos apresentados a ela. No caso de Walter White vemos a transformação do homem comum num criminoso, mas não sabíamos exatamente o que ia acontecer com ele. Já com Saul nós sabemos exatamente o que aconteceu com ele, agora vamos saber como.

Nessa 2ª temporada vemos que Jimmy (Bob Odenkirk) está tentando levar uma vida honesta sendo um advogado numa grande firma, mas ele tem problemas em seguir tudo de maneira correta. Ele não leva jeito para ser certinho, quer sempre dar um jeitinho, não seguir as regras ao pé da letra. Ou seja, ele já dá sinais de que não leva jeito para ser Jimmy, mas sim Saul.

Só que essa jornada não será curta e está sendo apresentada aos poucos, de forma que seja possível desenvolver os personagens de maneira satisfatória. Jimmy é uma pessoa adorável, que é mostrado como alguém gentil, com talento para ajudar os necessitados e carentes como os idosos (e não criminosos). Além disso, ele tem até um par romântico com a personagem Kim (Rhea Seehorn).

better-call-saul-2T-foto1

Outro ponto importante da temporada é a relação entre Jimmy e seu irmão Chuck (Michael McKean). Descobrimos que os problemas em relação a honestidade de Jimmy vem desde a infância e que o irmão sempre foi correto. Então ele não consegue aceitar que o irmão algum dia vai conseguir levar uma vida totalmente honesta. Nos dois últimos episódios vemos uma explicação para isso. Chuck não aceitava que a mãe deles gostava mais do irmão. E o grande gancho para a próxima temporada (já confirmada) vai justamente nesse ponto. Será que Ckuck vai mesmo denunciar o irmão? Será esse o motivo para Jimmy desistir de vez de ser um advogado sério e se transformar de vez em Saul? Vamos aguardar.

O melhor do seriado é que além do personagem principal muito bom, ainda temos um secundário também de qualidade e que merece destaque. Junto com a jornada de Jimmy, também iremos acompanhar o caminho de Mike (Jonathan Banks). E a sua trajetória é em alguns momentos até mais interessante do que a do protagonista. Como ele também aos poucos vai trilhando por caminhos fora da lei e se envolvendo aos poucos com o crime organizado e o tráfico de drogas.

O elenco também merece bastante destaque. Tanto Odenkirk quanto Banks são excelente atores e mostram aqui porque seus personagens roubavam a cena em Breaking Bad ao ponto de merecer um programa só deles. E ainda existe muita coisa para ser explorada, como a parte dos eventos futuros que assim como na temporada anterior foi utilizado apenas no primeiro episódio com cenas em preto e branco.

Assim como em Breaking Bad, a parte técnica também continua sendo destaque e muito bem cuidada em Better Call Saul. A fotografia é sempre interessante ao mostrar ótimos enquadramentos e ângulos numa estética que parece mais um filme do que um programa de TV. Isso sem falar nas cores e no primor técnico do design de produção. A montagem também chama a atenção. Tem um episódio que começa com um longo plano sem cortes que é extremamente bem executado. Isso acaba sendo mais um diferencial do programa.

Better Call Saul seguiu num bom ritmo nessa segunda temporada, mas é bom ter cuidado e fazer um planejamento para que não fique a impressão de que a história está sendo prolongada sem necessidade. Ou seja, que não entre num ritmo de enrolação. Ainda tem muita coisa que pode ser explorada, mas se continuar tão “lento” pode acabar passando a sensação de que a trama não está caminhando o suficiente.


better-call-saul-2T-cartazCriado por Vince Gilligan e Peter Gould
Emissora: Sony Pictures Television (transmitida pela Netflix fora dos EUA)
Com: Bob Odenkirk, Jonathan Banks, Rhea Seehorn, Patrick Fabian, Michael Mando e Michael McKean

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *