Review | Supergirl – 1×14: Truth, Justice and the American Way

Review | Supergirl – 1×14: Truth, Justice and the American Way

Temos a impressão de que a cada semana Supergirl tenta se superar no quesito mediocridade. Devo dizer que estão conseguindo alcançar esse objetivo com autoridade. Paciência e boa vontade são virtudes necessárias para acompanhar o desenrolar dos conflitos bobos e as forçadas de barra dos roteiristas.

Vocês vão ver que não estou exagerando.

Truth, Justice and the American Way levanta um tema importante, mas o discute de maneira infantil e clichê. Qual a definição de justiça? Como fazer o bem para cidade sem prejudicar os direitos dos outros?

Assunto interessante abordado de um jeito patético, algo corriqueiro para Supergirl.

Já vimos várias vezes isso anteriormente, inclusive no recente Demolidor. A diferença da qualidade de ambos é estratosférica.

O dilema enfrentado pela Supergirl em relação a Max Lord coincide bizarramente com a conduta do monstro da semana: um justiceiro que decide eliminar todos os alienigenas que escaparam da prisão em Krypton. Isso que é forçar a barra, hein?

Isso sem falar em outros pequenos detalhes que revelam a ruindade deste seriado, como quando Alex entra na casa do justiceiro, não consegue encontrá-lo, diz que precisa encontrar uma pista e um segundo depois uma luz brilha debaixo do assoalho. Elementar, meu caro Watson!

E os diálogos de James Olsen? Pensem em algo irritante e piegas.

De bom aqui, só mesmo Cat e seu humor peculiar.

No mais, 45 minutos de péssima televisão.

brauns

brauns

Fã de sci-fi que gosta de expor suas opiniões por aí! Oinc!

Um comentário em “Review | Supergirl – 1×14: Truth, Justice and the American Way

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: