Resenha de Livro | Novembro de 63 (Stephen King)

Stephen King não sabe o que é tirar férias. Viciado no seu trabalho, escreve todo dia, inclusive em feriados. Não é à toa que ele é um dos escritores mais produtivos da literatura mundial. Apesar da quantidade cavalar, não dá para negar que a qualidade também se faz presente. Claro, algumas obras tornam-se meros passatempos, mas outras conseguem envolver e marcar o leitor profundamente. Novembro de 63 faz parte desse seleto segundo grupo.

Me considero um admirador de Stephen King e um fã de qualquer coisa que envolva viagem no tempo. Foi difícil controlar minha empolgação ao saber que King havia lançado uma história de viagem no tempo. E que história!

Jake Epping é um professor de inglês que leva uma vida relativamente tranquila. Teve problemas com a esposa e não é o cara mais sentimental do mundo, mas as coisas vão bem. Durante um lanche em seu restaurante preferido tem uma conversa estranha com Al, o dono do lugar.

De acordo com Al, a despensa da lanchonete é um portal para o ano de 1958. Basta atravessar e você vai se encontrar no dia 9 de setembro de 1958. Não importa quanto tempo você passe no passado, ao retornar, só terá transcorrido 2 minutos do presente.

Cada vez que você volta para o passado, existe um recomeço. Ou seja: tudo volta a ser como era inicialmente.

Após ser convencido de que tudo isso é real, Jake recebe uma missão inusitada. Para Al, o mundo seria um lugar melhor se o presidente John Kennedy não tivesse sido assassinado. Como Al está doente, ele pede para que Jake volte para o passado e salve JFK.

Novembro de 63 possui uma premissa intrigante e repleta de possibilidades. É animador constatar que Stephen King soube aproveitá-las ao máximo.

Ao fazer uma pesquisa de campo grandiosa, King consegue trabalhar os detalhes minuciosamente. Somos transportados para o final da década de 50 e início da década de 60 juntamente com Jake e compartilhamos com ele a alegria de aproveitar certas coisas, como o fato das comidas serem mais saborosas e as pessoas mais educadas, mas também compartilhamos o medo e a frustação quando ele percebe que o passado é obstinado. O passado não quer ser alterado e irá colocar várias armadilhas pelo caminho.

Lee Harvey Oswald é apontado como o autor dos disparos que mataram JFK. Será que foi ele mesmo? Será que ele agiu sozinho? Jake vai ter que confirmar isso antes de tomar uma atitude.

Mas o que seria de uma boa história sem um romance? Novembro de 63 também é uma história de amor, mas uma história de amor que pode trazer graves consequências. Lembram do efeito borboleta e da teoria do caos? Pois é. Uma mudança no passado, um relacionamento diferente e todo o futuro pode mudar.

Novembro de 63 oferece uma leitura agradável e fluída. Temos aqui personagens bem construídos, verossímeis, que conquistam nossa empatia rapidamente. A ideia de voltar para o passado para alterar um fato importante é simplesmente fascinante. E os últimos capitulos são extremamente dinâmicos e nos estimulam a ler tudo em um fôlego só.

Fazia tempo que uma obra recente não causava tanto impacto em mim. Novembro de 63 é para ler, reler e sair recomendando por aí sem medo.


novembro-63-stephen-kingNovembro de 63

 

Autor: Stephen King
Ano: 2013
Páginas: 727
Editora: Suma de Letras

Compre o livro
Se preferir compre a versão digital.

Fã de sci-fi que gosta de expor suas opiniões por aí! Oinc!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *