Crítica | Pegando Fogo (Burnt)

Crítica | Pegando Fogo (Burnt)

Pegando Fogo é o típico filme 3 estrelas, não as 3 estrelas da Michelin que o protagonista tanto deseja alcançar, mas aquelas 3 estrelas (aqui em nosso chiqueiro bacons, ou melhor, Kevin Bacons) de um total de 5 que diz que sim, é um bom filme, mas não é daqueles que vai mudar a sua vida.

A trama acompanha a jornada do Chef de cozinha Adam Jones (Bradley Cooper) que já foi um dos mais respeitados em Paris mas o envolvimento com drogas e álcool acabou o levando ladeira abaixo. Após um período de introspecção e auto-punição em New Orleans, ele vai para Londres disposto a conseguir a tão sonhada terceira estrela da Michelin, o Oscar da culinária.

Pegando Fogo entra na moda atual da cultura ‘food porn‘ e é mais uma daquelas obras capazes de deixar os espectadores com fome, ainda mais por ser ambientado na linha dos restaurantes de altíssimo padrão. Nesse quesito, o filme é muito bem conduzido. Fica a sensação de que se está mesmo dentro de uma cozinha que está, a todo instante, literalmente, pegando fogo (tinha que usar esse trocadilho infame, perdão).

O elenco é bom, além do Bradley temos as presenças marcantes da Emma Thompson (ela faz a psicóloga), Daniel Bhrül que interpreta o Maitre e fiel escudeiro de Adam Jones e na equipe da cozinha, onde todos estão muito bem, os destaques ficam para Sienna Miller e Omar Sy. As interpretações estão num nível alto, entretanto os personagens são bastante comuns.

Cortar cebolas nunca é fácil
Cortar cebolas nunca é fácil

Não existe muito espaço para discutir o filme dirigido por John Wells, Pegando Fogo é mais uma daquelas obras que deverão em breve serem esquecidas. Seguindo um caminho previsível, fica fácil o espectador saber de antemão todo o desenrolar da história que abusa da receita padrão para obras deste gênero. Até mesmo a inserção de elementos de um romance surgem para ‘apimentar’ a jornada do sujeito quebrado e de um passado falho que busca redenção com a sua arte.

Vale a pena, vale o seu ingresso? Bom, para quem for se aventurar encontrará um filme agradável de ser visto e uma jornada que, ainda que não traga grandes reviravoltas, caminha num bom ritmo e traz atuações interessantes. Pegando Fogo não vale as 3 estrelas da Michelin, mas está longe de causar indigestão.


Pegando Fogo (Burnt, 2015 – 102 min)
Drama, Comédia

Direção: John Wells
Roteiro: Steven Knight
Elenco: Bradley Cooper, Sienna Miller, Daniel Bhrül, Emma Thompson, Omar Sy, Matthew Rys, Uma Thruman, Alicia Vikander, Lily James e Sarah Greene.

 

Marcio Melo

Marcio Melo

Vejo filmes que ninguém conhece, escrevo contos que ninguém lê e torço por um time que nunca vence.

4 comentários sobre “Crítica | Pegando Fogo (Burnt)

  1. É um filme razoável como bem resumido por você. Para os amantes de culinária pode ser um atrativo a mais, para quem não liga para isso sobra pouco para convencer de que vale à pena assistir.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: