Review | Supergirl – 1×04: Livewire

Este quarto episódio de Supergirl se passa no Dia de Ação de Graças, um dos feriados mais importantes e respeitados dos Estados Unidos. Como não podia deixar de ser em ocasiões como essa, o roteiro de Livewire investe bastante no drama familiar e nas relações pessoais. As cenas entre Cat e Kara foram tão boas que se a Supergirl não aparecesse nem faria tanta falta. Cat e Kara tem uma conversa bem interessante, com direito a revelações de alguns segredos do passado e a momentos em que o sentimentalismo toma conta. Mas é claro que Cat está sempre pronta para soltar algum comentário ácido e engraçado, como aquele sobre os comentários espertinhos no Youtube.

Novamente fomos apresentados a um vilão humano, o que não parecia ser o padrão do seriado. Livewire é nome de guerra de uma DJ que foi atingida por um raio e se transformou. Trata-se de uma personagem sem muita inspiração, afinal suas motivações para fazer o mal são bem tolas. Gostei muito mais daquela primeira vilã que aparece no episódio, que era tão forte e sinistra que nem parecia mulher. Até mesmo a Supergirl se impressionou com a revelação de que a coca era fanta e falou “Respect!” depois de neutralizá-la.

E o que dizer do adorável Winn? Coitado. Ele trocou um feriadão com comida tailandesa e maratona de Orphan Black por presenciar uma discussão da família Danvers e ser interrompido na hora H por James. Será que algum dia ele sairá da friendzone?

Ah. E prefiro nem comentar o draminha que a mãe de Alex fez pelo fato da filha fazer parte da organização anti-alien. Tá bom, vou comentar: encheção de saco total!

Apesar das ressalvas ao episódio, novamente me vejo me divertindo muito com Supergirl. A nossa heroína não evoluiu dessa vez, mas ver a aproximação de Kara e Cat já valeu a pena. E a referência a Arquivo X. E o cover da música de Hozier. E a cena em que… bom, você já entendeu!

***classificação***

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *