The Strain – 1ª Temporada

Em 2009, lançado pela editora Rocco, chegava as bancas o livro Noturno[i] de Guillermo Del Toro e Chuck Hogan. A história nunca me pareceu interessante e comecei a ler pelo simples fato de ter o nome de Del Toro como chamariz, acreditei que algo bom pudesse vir e felizmente estava certa. Ao saber que essa história viraria uma série de TV fiquei ainda mais entusiasmada pois, ao contrário de muitas pessoas que não gostam de ver seus livros na TV, para mim seria uma experiência audio visual  interessante; uma bela união entre aquilo que li e imaginei com o que de fato estava na mente do autor visto que ele seria o diretor da série.

Na primeira temporada de The Strain somos colocados diante de uma situação totalmente inesperada: Minutos antes de pousar em Nova York, um boeing 777 perde toda sua comunicação. Todas as equipes de emergências não só do aeroporto mas também da cidade entram em alerta pois o avião está parado na pista, totalmente desligado, intacto e sem nenhum sinal de movimentação interna. Com a chegada do CDC (Centro de Prevenção e Controle de Doenças), grupo anti-terrorismo, FBI e forças armadas é o momento de descobrir o que houve com o avião. A partir daí começam a desenrolar toda a trama da série para desvendar a verdadeira dimensão do perigo que chegou a NY, se é uma ameaça biológica ou sobrenatural e como vencê-la.

The_Strain

Um dos erros fundamentais que cometi foi esperar uma narrativa próxima ao que li nos livros da série. Não faça isso. Os meios são diferentes e cada um exige uma linguagem própria. Logo nos  primeiros episódios a face do perigo já é mostrada o que faz o público entender que a intenção não é manter o suspense da criatura/vírus e sim lidar com a contaminação massiva  para evitar que o mundo viva seu The Walking Dead [ii].  Particularmente não gostei da forma atropelada como as coisas foram feitas e mesmo tentando evitar ao máximo uma comparação aos livros, não posso evitar de fazer um paralelo como esse. Nas linhas de Noturno só é possível compreender as nuances do Mestre já nas últimas  páginas e desta forma a sensação de medo é estendida ao máximo pois não entendemos exatamente o que temer. Apesar disso entendo que a série tem seu ritmo próprio e seria necessário condensar algumas histórias coisas para caber nos 13 episódios apresentados.

O fator que mais me incomodou na primeira temporada de The Strain foi a aparência destinada ao Mestre. Seu rosto, mostrado claramente em alguns momentos, é sem graça e não retrata a ameaça que ele representa. Em contrapartida seu “gerente” Thomas Eichhorst (Richard Sammel) com seu rosto humano porém de uma dureza impressioante, representa todo o pavor que o Mestre não consegue. Já o grupo de sobreviventes é bem flutuante com os médicos Ephraim e Nora que formam um casal sem qualquer empatia, Vasiliy Fet interpretado pelo subestimado Kevin Durand é um exterminador de pragas com um grau de importância maior no livro mas ainda assim estabelece um laço com o publico quase que instantaneamente. Mas quem rouba todas as cenas para si é o veterano David Bradley que encarna o sobrevivente Setrakian: um idoso com aparência frágil, sobrevivente dos campos de concentração nazista mas que é um caçador implacável dessas bestas.

Apesar dos seus altos e baixos, The Strain cumpre bem o seu papel de colocar suspense, violência gráfica e morbidez na sua TV. Com três temporadas garantidas é possível que feche os arcos dos livros oferecendo mais uma opção para aqueles que gostam de séries de horror. Agora é partir para a segunda temporada!

[i] Guillermo Del Toro sempre teve interesse em levar a história de The Strain para a TV mas nem seu nome de peso na indústria cinematográfica abriu as portas dos estúdios para ele. Acreditando muito na sua história, ele se uniu a Chuck Hogan e lançou sua saga nos três livros: Noturno, A Queda e Noite Eterna. Com o sucesso nas bancas, a FX resolveu apostar na história sombria e lançaram a primeira temporada em 2014!

[ii] Acompanhe aqui na POCILGA o review de cada episódio da 5ª temporada de The Walking Dead clicando AQUI.


Nome: The StrainThe Strain

Critica: 1ª temporada

Episódios: 13

Exibição: 2014

Canal: FX

 

Uma criatura meio doida que lembra a irmã do Ferris Bueller, finge que é nerd, adora filmes de terror mas tem medo de comédias românticas.

3 thoughts on “The Strain – 1ª Temporada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *