Maratona Star Wars | Episódio I – A Ameaça Fantasma

Quando A Ameaça Fantasma inicia e vemos o Jedi Qui-Gon Jinn junto com seu padawan Obi-Wan Kenobi tomando uma biritinha na sala de espera antes de serem atacados a mando do Império, na hora, você não compreende muito bem qual a importância daquela cena – mais à frente você descobre que todo o filme não é importante na verdade – mas logo aos 10 minutos de projeção tudo fica claro. Ele aparece…

Mesa called Jar-Jar Binks.
Mesa called Jar-Jar Binks. Mesa your humble servant!

Já com 10 minutos Jar Jar Binks aparece e, realmente, só tomando uma birita para aguentar toda uma tarde com esse paspalho e suas trapalhadas. O objetivo de Tio George era fuder com a cabecinha dos fãs claramente agradar os pequenos, mas a verdade é que o Episódio I – A Ameaça Fantasma é uma obra (no pior sentido que essa palavra possui) chata demais para as crianças que só se alegram quando Binks pisa num cocô alienígena ou rouba comida com sua linguona – e tem uma cena em que Qui-Gon mostra o seu verdadeiro poder Jedi ao segurar a língua dele mais rápido do que Miyagi conseguia matar moscas com o hashi – e mais chata ainda para os mais velhos que esperaram 16 anos por um novo filme dos Star Wars e receberam a palavra que se chama DECEPÇÃO na caixa do peito.

Já vi esse filme antes

Os fãs da maior saga do cinema – que é Star Wars – estão em polvorosa, roendo unhas como se não houvesse amanhã e alimentando o grande monstro da expectativa tão intensamente que ele já chegou na categoria Kaiju 7 [i]. Não é para menos, mais de uma década após o último filme da série ser lançado nos cinemas, uma nova produção está para ser lançada. Será que vai ser tão bom quanto o material de divulgação e os trailers estão prometendo?

How rude
How rude ! Meesa so sad

Parece 2015, mas isso aconteceu em 1999, quando a Internet ainda estava engatinhando e os cinemas ganhavam rios de dinheiro com filmes ‘meia-boca’ só porque passariam o trailer do Episódio I – A Ameaça Fantasma (The Phantom Menace). Lançamento simultâneo de trailer na tv/internet e todo mundo assistindo ao mesmo tempo? Para com isso, fera. Nem mesmo o filme foi lançado simultaneamente, ele saiu antes nos EUA e só após algumas semanas aportou por aqui [ii].

Só quem estava comigo no dia 24 de Junho de 1999 na sala do cinema assistindo A Ameaça Fantasma pôde compreender, ao presenciar o meu estado, o que significava a palavra decepção. Sabe quando você vai abrir o pote de sorvete napolitano que está no seu congelador, torcendo para ter nem que seja uma colher ou duas dos sabores chocolate ou baunilha, mas já imaginando que só deixaram morango (sempre deixam apenas o morango pro final) e quando você está abrindo a tampa já aceitando que a vida é assim mesmo e morango nem é tão ruim e encontra apenas feijão? Porra, você daria tudo por um sorvete de morango! Foi exatamente isso que representou A Ameaça Fantasma para mim, feijão congelado num pote de sorvete que deveria ter, pelo menos, a porcaria de um sorvete ruim de morango.

O que (re)descobri revendo A Ameaça Fantasma

Pela primeira vez em 16 anos eu resolvi – na verdade assisti novamente apenas por conta da nossa Maratona Star Wars – rever o glorioso Episódio I – A Ameaça Fantasma, o filme que para boa parte dos fãs de Star Wars é o que recebe menos apreço. Foi ruim porque perdi 2 horas e 16 minutos da minha vida bom porque pude rever alguns conceitos e descobrir muitas coisas, e a mais incrível de todas é:

Jar Jar Binks NÃO é o maior dos problemas!

Por anos, sempre estive certo que Jar Jar Binks era o grande culpado de A Ameaça Fantasma ser o pior o filme dentre os 6 primeiros Star Wars. Ele continua sendo uma das piores coisas, mas depois que recebi uma dica interessante outro dia nessas conversas inúteis do Twitter, as coisas mudaram de figura. Se você ignorá-lo durante todo o tempo, talvez pensando nele como o fantasma do título, você vai conseguir assistir ao filme sem que ele faça tanta falta (tá, inventam motivações para ele ter a sua importância na trama e em algumas linhas narrativas para justificar a sua presença). Sério, isso vai mudar a vida de muita gente.

Sempre dois eles são, nem mais, nem menos... (Yoda)
Sempre dois eles são, nem mais, nem menos… (Yoda)

Só não vai mudar uma coisa, o filme continua ruim com ou sem Jar Jar!

A parte política da trama é um saco, os personagens que surgem aqui ou são melhor desenvolvidos no filme seguinte ou morrem, inclusive o vilão do filme que poderia ser melhor aproveitado.

Porra, man! Você tem um vilão chamado DARTH Maul que tem o rosto rubro-negro com espinhos e a PORRA DE UM SABRE DE LUZ DUPLO, e tudo o que ele faz é dizer 3 frases durante todo o filme, soltar uns drones em Tatooine para só aparecer depois no final do filme numa luta que, vá lá, é bacana, mas acaba muito rápido. Não dá tempo nem de preparar um miojo e ele morre e some de nossas vidas.

O Lado Sombrio da atuação

E não só personagens morreram, carreiras também foram encerradas, como a do jovem ator que interpretou o Anakin, ou melhor, Ani. Jake Lloyd pouco tempo depois desistiu da profissão e afirmou que sua decisão foi por conta do trauma que foi, para ele, toda a experiência: em qualquer lugar que ele ia, outras crianças ficavam fazendo barulhinhos do sabre de luz [iii]. O fato do filme, na opinião de boa parte dos fãs, ser ruim só piorava a situação. Pobre alma.

Jake Lloyd ontem e hoje
Jake Lloyd ontem e hoje

Outra carreira que quase chegou ao fim foi a de Natalie Portman, ela, que vinha bem referenciada, afirmou que Mike Nichols foi quem salvou a sua carreira, que quase ia pro saco assim como foi a de Hayden Christensen, que “participou” dos filmes seguintes.

Como se já não bastasse tudo isto, A Ameaça Fantasma recebeu as seguintes indicações para o Framboesa de Ouro: Pior Ator Coadjuvante (Jar Jar Binks, isso mesmo), Pior Atriz Coadjuvante (Sofia Coppola [iv]) e Pior Dupla (Natalie Portman e Jake Lloyd). Por falar nessa dupla, tem coisa mais CREEP que ver uma criança galanteado uma moça com papos de pedreiro das galáxias do tipo: você parece um anjo só que não tem asa iá iá.

O Facão e o Clube

Dentre as várias ordens que existem e são indicadas para assistir a Saga Star Wars ou apresentá-la a alguém, existe uma chamada ORDEM MACHETE. Essa ordem consiste em ver os filmes na seguinte sequência:

  1. Episódio IV – Uma Nova Esperança
  2. Episódio V – O Império Contra-Ataca
  3. Episódio II – O Ataque dos Clones
  4. Episódio III – A Vingança dos Sith
  5. Episódio VI – O Retorno de Jedi

Sentiu falta de algum filme nessa lista? Não, claro que não sentiu. O Episódio I é cortado a facão na Ordem Machete. E realmente é uma obra que ninguém precisa assistir. E sabe o melhor de não se assistir A Ameaça Fantasma? Você não precisa saber da existência dos midchlorians. Aliás, devia ser igual ao Clube da Luta, ninguém deveria nunca mais falar sobre isso.

O Merdeiro das Estrelas

E no final das contas, o grande Merdeiro das Estrelas, o culpado de tudo é o Qui-Gon Jinn. Além de ele ter convencido pessoas que Jar Jar Binks seria útil (ele solta essa frase com apenas 20 minutos de filme), ele é o responsável por toda a treta e as desventuras da família Skywalker. Primeiro ele encontra o Anakin e se convence que ele é o escolhido, só porque teve uma concepção ~imaculada~ como a de Jesus Cristo. E quede a mãe desse menino que deixa um tio qualquer ficar tirando-lhe sangue (proibido falar novamente naquilo) e saindo com ele por aí? Quede o conselho tutelar de Tatooine?

A cereja do bolo, a hora em que você desiste de tudo depois de perceber de relance que Jar Jar Binks (que até o C3PO diz ser estranho e esquisito) continua em tela, depois de ter visto que todos em Naboo comem cogumelos alucinógenos, inclusive o rei Gungan sapão que confere a Jar Jar o posto de general naquela batalha feita com um CGI escroto, é quando Qui-Gon Jinn diz que Anakin trará o equilíbrio para a Galáxia [v]. Isso amigos, é o único momento engraçado de A Ameaça Fantasma, é a mesma coisa de ouvir o presidente do meu time dizer que vamos ser campeões.

É uma decepção, mas sendo Star Wars as notas começam em 3 (Kevin) Bacons

[i] No filme “Círculo de Fogo (Pacific Rim)” de 2013, os Kaijus eram os monstros gigantes e o maior nível registrado lá chegou à categoria 5. Kaiju (palavra japonesa que significa “besta estranha”, “animal incomum”) é, na verdade, a descrição de monstro gigante no Japão, sendo o Godzilla o primeiro Kaiju.

[ii] O filme foi lançado no dia 19 de Maio nos Estados Unidos. 17 de Junho na BOLÍVIA e 24 de Junho de 1999 no Brasil. Pelo menos daremos o troco agora, já que no primeiro minuto do dia 17 de Dezembro já estaremos assistindo, enquanto lá fora só vai rolar no dia 18.

[iii] Já Ewan McGreggor, grande fã da saga Star Wars, fazia os sonzinhos do sabre de luz constantemente durante as filmagens. Por diversas vezes precisavam impedí-lo e o relembravam que ele não precisava fazer o som pois ele seria adicionado na edição hehehe.

[iv] Além de Sofia Coppola, Keira Knightley também interpreta uma das amas da rainha.

[v] Sei o que acontece em O Retorno de Jedi.

Queria ser astronauta mas tudo o que consegui na vida foi cair de um carro em movimento, fissurar meu crânio andando de skate e zerar Alex Kid in The Miracle World no Master System. Nas horas vagas vejo filmes que ninguém conhece, mato monstros que não existem e torço por um time que nunca vence.

17 thoughts on “Maratona Star Wars | Episódio I – A Ameaça Fantasma

  1. Não vou me alongar pois os argumentos – que provam que o senhor está ERRADO – virão em um texto futuro dessa maratona…
    Só tenho a obrigação de te passar o conhecimento do grande João Carvalho do Decrépitos:
    O gordo, o VERDADEIRO gordo, quando abre o pote de sorvete e encontra feijão, sorri.

    Bjs nas crianças

  2. Excelente texto. Acertou em cheio toda a quebra de expectativa que eu senti, ao ver o filme na gigantesca tela da Sala 1 do Aeroclube.

    Ainda não comecei minha maratona, mas vou fazer isso direito e rever esta porcaria

  3. Man, o filme não foi lançado em 19 de Junho não (pelo menos não em Salvador).
    Eu comprei ingresso pro 1º dia que foi 24 de Junho. Lembro porque era São João.
    Aí depois eu descobri que tinha sessão do dia 23 pro dia 24 às 0:01 e fui assistir.
    Acabei assistindo o filme 2 vezes, uma de madrugada e outra de manhã (acho que umas 10 ou 11 da manhã). E depois ainda assisti de novo no Aeroclube na sala 1 que tinha acabo de abrir. Descobri depois que supostamente teve essa mesma sessão de 0:01 no Aeroclube, mas como a Internet ainda estava engatinhando na época e o lugar não estava ainda aberto oficialmente com propagandas e coisas do tipo, não fiquei sabendo.

    1. Você só pode ser sadomasoquista. Eu não me imagino em 20 anos vendo esse filme 3 vezes, vi a segunda em 16 anos e já foi demais para mim.

      Guerreiro!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *